Em 2020 o mundo todo se viu diante da necessidade de parar as suas atividades para encarar um vírus até então desconhecido e extremamente contagioso. Muitos setores da economia pausaram suas produções para não expor os trabalhadores aos riscos de um contágio. Na educação isso também aconteceu, e inúmeras crianças e adolescentes tiveram seu ano letivo interrompido pela impossibilidade de frequentar as escolas.

Após um período de replanejamento das instituições, as aulas foram retomadas de maneira virtual, conhecida como ”ensino a distância”, ou simplesmente EAD. 

Alguns estados brasileiros já estão passando por um processo de retomada das aulas presenciais, mas, para os mantenedores, gestores, corpo pedagógico e docentes, essa situação pode gerar dúvidas em relação a como agir para realizar a reposição das aulas que foram perdidas nesse período. 

Pensando nisso, o COC preparou este material para te ajudar a entender como se preparar. Continue conosco e acompanhe!

Faça um planejamento

É evidente que o planejamento feito no início do ano letivo sofreu alterações consideráveis, e as escolas precisam replanejar toda a grade de conteúdos para se adequar ao momento. 

Portanto, uma das primeiras coisas a se fazer para preparar a volta dos alunos à escola é elaborar uma nova estratégia de ensino. Para isso, é fundamental que toda a equipe que trabalha diretamente com o aprendizado dos estudantes esteja alinhada para pensar em uma soluções viáveis a todos para resolver os problemas causados pela pandemia e trabalhar na reposição das aulas.

Realize uma avaliação diagnóstica

Disponibilize aos alunos uma avaliação diagnóstica abordando os conteúdos que foram ministrados durante a aulas a distância, com a finalidade de identificar se eles realmente absorveram os assuntos ou se algum tema ficou defasado. 

Através desse exame, será mais fácil mapear os pontos que precisam ser revisados nas aulas presenciais para que eles não passem de ano com um déficit de aprendizado.

A escola deve deixar claro para os estudantes que essa avaliação é de fundamental importância e que, por isso, precisa ser levada a sério por todos.

Quantifique o conteúdo atrasado

Com relação ao item anterior, o seu time pedagógico conseguirá quantificar a porcentagem da matéria que não foi bem compreendida pelos alunos, norteando assim a elaboração de um novo planejamento, que também já citamos neste artigo.

Dessa forma, será possível montar um calendário mais detalhado sobre as reposições de aulas, as atividades complementares (que abordaremos a seguir) e as eventuais mudanças no cronograma de férias dos estudantes. 

Organize atividades complementares

Uma alternativa para tentar recuperar de forma mais rápida o conteúdo perdido durante a pausa causada pela pandemia é através das atividades complementares. 

Os docentes da sua instituição, juntamente com o corpo pedagógico, podem elaborar atividades que ajudem os alunos a praticar mais os temas estudados, de forma a agilizar o processo de recuperação dos assuntos.

Essa prática tende a diminuir o tempo utilizado com as explicações daquilo que já foi estudado, e esses minutos preciosos podem ser úteis durante as aulas para avançar ainda mais na temática das disciplinas, abordando informações novas, contribuindo para a continuação do novo planejamento de aulas feito para atender à demanda de emergência.

Tenha um canal de comunicação com os responsáveis

É natural que os responsáveis pelos alunos da sua escola estejam preocupados e apreensivos com o andamento do aprendizado das crianças e jovens depois dessa paralisação.

Por essa razão, é importante que a sua escola jogue limpo com os pais e deixe claro quais as estratégias que serão adotadas a partir do momento em que as aulas presenciais voltarem e quais os esforços que todos terão que fazer para recuperar o que foi perdido, além de mostrar a evolução do planejamento traçado para a reposição das aulas.

Adapte a sua escola

A reposição de aula da sua escola também deve seguir as regras de distanciamento social e, de forma prática, isso quer dizer que a quantidade de alunos por sala de aula deverá ser reduzida.

Isso significa que, provavelmente, você deverá pensar em adaptações físicas para a sua instituição para conseguir dividir as turmas e aumentar o número de salas de aulas disponíveis.

Ainda há muitas dúvidas sobre a volta dos estudantes às escolas, mas enquanto não há uma definição que sirva para todos, você, mantenedor, e sua equipe pedagógica já podem pensar nas soluções para os problemas causados pela pandemia do novo coronavírus.

Visite o blog do COC e veja mais artigos sobre gestão escolar que facilitarão a sua administração.

O que é transversalidade na educação?

A importância de ter uma equipe capacitada na gestão de uma escola