O Projeto Político-Pedagógico - conhecido pela sigla PPP ou até mesmo por outros nomes, como plano pedagógico - é um documento que deve ser produzido para descrever os objetivos educacionais e sociais da escola, bem como explicar o seu plano de ação para alcançar as metas de ensino e de integração da comunidade escolar. O escrito é uma exigência pública que segue a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996 e que se estende para todas as instituições de ensino do país (públicas e privadas).

Esse planejamento também precisa abordar os problemas e as questões enfrentadas pela comunidade escolar, apresentando soluções que atendam às necessidades dos setores envolvidos. Assim, o PPP funciona como um verdadeiro guia para auxiliar a escola a cumprir seus objetivos. Nos itens a seguir, daremos algumas dicas que irão te ajudar a produzir o documento e a reconhecer a importância do mesmo. Confira!

O que colocar no PPP?

O PPP deve detalhar as informações sobre a identidade da escola, com especificações técnicas, como localização, composição do corpo docente e dos funcionários, definição dos objetivos educacionais - identificando-se como uma escola de ensino fundamental ou um colégio pré-vestibular, por exemplo -, e outros itens que contribuam para caracterizar a instituição. Propõe-se também a apresentar a missão do local, através da descrição de objetivos da instituição.

O planejamento político-pedagógico deve descrever a estrutura da escola, tanto em relação aos espaços físicos - como salas de aula, quadras poliesportivas e bibliotecas - quanto às tecnologias e aos recursos disponíveis para a comunidade escolar. Apresenta também as diretrizes pedagógicas, citando os conteúdos propostos e esmiuçando a metodologia utilizada para transmitir conhecimentos aos alunos - expondo o estilo de aula, o material de apoio e a utilização de outros meios para o ensino.

Enquanto um espaço de formação social, a escola precisa basear o seu planejamento no contexto em que se insere. Assim, o documento deve contar com os dados de aprendizagem da região, trazendo informações como o nível educacional médio da população, a taxa de evasão escolar ou o número de anos destinados aos estudos.

Além disso, é fundamental que o PPP contenha um detalhamento assertivo das características populacionais da comunidade escolar. “Quem são os alunos atendidos?”, “Qual a faixa etária?” e “Qual a renda média das famílias?” são algumas das perguntas que precisam estar respondidas no documento. Com isso, o objetivo é entender o público da instituição, visando criar um planejamento que integre os envolvidos no processo educacional de acordo com suas necessidades.

Por fim, o planejamento precisa expor o plano de ação que será seguido durante o período letivo, a fim de cumprir os objetivos pedagógicos e sociais. Nesses itens, o PPP poderá descrever as ações comunitárias, os encontros de pais e responsáveis, as atividades extracurriculares, as gincanas entre turmas e as visitas guiadas a museus, por exemplo. A ideia central é que a descrição das práticas atenda às necessidades da comunidade escolar e funcione para solucionar os seus problemas; tudo isso de acordo com a identidade e a missão da instituição de ensino.

Como elaborar o planejamento?

Os passos iniciais da elaboração de um PPP de qualidade estão na pesquisa, tanto interna quanto externa à escola. Em primeiro lugar, é fundamental que as pessoas envolvidas no trabalho consigam detalhar as características e as diretrizes da própria instituição. Ao mesmo passo, precisam entender todo o contexto social e populacional em que o espaço escolar se insere.

Cada instituição pode definir um método próprio para elaborar o seu planejamento político-pedagógico. A ideia é que ele contemple um debate entre os diferentes setores envolvidos na comunidade escolar, buscando ouvir as necessidades de cada um e atender seus objetivos. Para tal, uma sugestão é a criação de um conselho escolar que conte com representantes das classes de docentes, de alunos e familiares, de coordenadores e de funcionários. Por meio de reuniões entre esse grupo, é possível discutir as pautas relevantes e produzir o documento.

Outra saída está na convocação de reuniões e plenários para a discussão do planejamento escolar, envolvendo toda a comunidade e engajando-a na concepção do regimento que guiará a escola. Esses encontros precisam fomentar o debate e incentivar a participação democrática de todos os envolvidos nos processos de ensino. Cabe ao diretor, por exemplo, coordenar todo o processo de trabalho, designando as funções incumbidas a cada um.

Como o PPP pode ajudar a escola?

Antes de qualquer coisa, o PPP deverá ser apresentado ao governo e contará com a aprovação dos órgãos legais responsáveis. Porém, é fundamental que a escola entenda o planejamento como algo além da formalidade legal, já que o PPP é um documento importante para o funcionamento da instituição. Para isso, a direção deverá despender um tempo para a criação do documento, de forma que exponha as características e os objetivos da escola.

O planejamento pedagógico também poderá servir como uma referência para os pais que procuram a escola. Através do documento, é possível visualizar a identidade da instituição e saber o que esperar para os estudos do filho. Isso é muito importante para os responsáveis enxergarem que há um guia concreto para o desenvolvimento escolar e que poderão considerar esse fator no momento da decisão de matricular os estudantes.

O PPP também é um importante guia para as tomadas de decisão da diretoria, da coordenação e até mesmo do corpo docente. Por meio dele, é possível retomar toda a proposta da escola e neal basear as escolhas da instituição. Nesse sentido, há vários exemplos de situações onde o PPP poderá atuar como guia, como problemas disciplinares com estudantes, alterações no material didático, participação em ações sociais ou contratação de professores.

Além disso, o planejamento político-pedagógico, ao trazer metas de ensino e de formação dos alunos, coloca parâmetros a ser atingidos ou até mesmo superados ao longo do ano letivo. O objetivo é que as revisões periódicas do plano possam mensurar se os alvos foram alcançados, projetando as ações futuras para continuar com o desenvolvimento e a busca pela excelência.

Veja outras dicas que podem te ajudar com a gestão da sua escola:

7 dicas para planejar a primeira reunião de pais do ano

Como organizar uma feira de ciências na sua escola

Base Nacional Comum Curricular: entenda as principais mudanças

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!