A história da evolução humana é marcada pelo desenvolvimento das tecnologias, das relações humanas e das transformações que acontecem no meio em que vivemos. Com o passar dos anos, cada nova geração foi se adaptando à sua realidade e plantando a semente para que os grupos futuros tivessem recursos mais modernos para encarar a vida.

Atualmente, estamos acompanhando o crescimento da Geração Alpha, que são crianças nascidas a partir do ano de 2010, e não é segredo para ninguém que elas já surgiram em um mundo muito globalizado. Essa característica principal influencia outros comportamentos, inclusive a relação com a educação.

No texto abaixo falaremos mais sobre essa questão referente às mudanças no ambiente escolar e na forma como elas encaram os estudos. Confira!

Tecnologia integrada à vida

Diferentemente das gerações anteriores, que tiveram que se adaptar à chegada da tecnologia e acompanharam o passo a passo até chegarmos no nível de tecnologia atual, os nascidos na última década já estão inseridos nessa realidade, portanto eles não compreendem como é uma vida sem os instrumentos tecnológicos à sua volta.

Dessa forma, a maneira como eles se comportam diante das tarefas escolares é condizente com essa verdade. Para eles, é normal ter a tela do computador, tablet ou celular ao lado para auxiliar na busca por novas explicações ou para encontrar vídeos e imagens que auxiliem nas demandas.

É por isso que as escolas devem perceber que precisam se modernizar e se fazer presente também no mundo virtual. Nesse sentido, podemos citar, por exemplo, o oferecimento de um sistema digital de acompanhamento dos estudantes, com plantões de dúvidas on-line, videoaulas, canais com dicas importantes de estudos, banco de questões, ambiente interativo com jogos e atividades etc. 

Esses instrumentos devem estar disponíveis para os estudantes acessarem quando e onde desejarem. Afinal, a internet dá uma liberdade maior para a realização das demandas quando o aluno está mais disposto.

Aprendizado na prática

Os estudantes da geração de 2010 estão inseridos em uma cultura em que a prática é muito valorizada, independentemente do contexto. Para eles, estar em uma sala de aula e ficar algumas horas apenas de frente para o livro ouvindo o professor falar não é tão eficiente quanto fazer exercícios, buscar o conhecimento com a ajuda dos colegas e dos professores, se desafiar durante os estudos etc.

Por conta disso, é preciso que a sua instituição de ensino se adapte a essa forma que os alunos têm de encarar a vida escolar, pois a tendência é que esse comportamento seja passado para as gerações futuras e as escolas se tornem, cada vez mais, locais voltados para a experiência prática deles, onde podem explorar suas ideias e aprender colocando a mão na massa.

Pensando nisso, procure usar livros didáticos que já estejam adaptados a essa nova realidade e que levem em conta o papel dos professores também como tutores que estimulam o aprendizado autônomo.

Liberdade de pensamento

A Geração Alpha está dentro de uma cultura em que tudo é instantâneo, as notícias se renovam a cada segundo, é fácil buscar informações e as pessoas têm a liberdade de expor seus pensamentos. Nesse sentido, as salas de aula não são mais apenas um ambiente de aprendizado, mas também um espaço para os debates.

É por isso que a sua instituição deve buscar entender melhor como proporcionar esse incentivo e como capacitar os professores para que eles sejam também mediadores, além de ter um material didático que estimula o desenvolvimento do pensamento complexo, com linhas de raciocínio, argumentação e, principalmente, o respeito pelas ideias dos outros.

Conclusão

As crianças que pertencem à Geração Alpha são naturalmente mais antenadas nas novidades que acontecem ao seu redor e tendem a ser mais expressivas do que as crianças dos tempos anteriores. 

Dessa forma, é importante que as instituições de ensino estejam alinhadas em relação a essas características para oferecer a elas instrumentos e recursos que incentivem um desenvolvimento que vai além dos conhecimentos teóricos que estão nos livros didáticos.

Gostou deste texto? Então confira no blog do COC outros artigos sobre escolas!