Existem diferentes formas de aprender: seja com tarefas individuais, trabalhos em grupo e interagindo com objetos ou por meio de palavras, músicas, imagens e filmes, por exemplo. De acordo com a etapa da jornada escolar, o nível de desenvolvimento de cada um dos estudantes e as suas próprias preferências naquele momento, alguns estilos podem facilitar o processo de aquisição do conhecimento.

Por isso, muitas instituições de ensino já se utilizam desses diferentes estilos para montar o melhor e mais completo plano pedagógico para todos os seus alunos, estimulando a aquisição de diferentes competências e habilidades. Pensando nisso, no texto de hoje, vamos apresentar para você alguns dos estilos de aprendizagem. Descubra também como você pode desenvolvê-los na sua escola e em sala de aula. Acompanhe!

  1. Intrapessoal

Chamamos de introspectivas as atividades que exigem maior reflexão e trabalho individual. Por isso, a abordagem intrapessoal também está relacionada à capacidade de descobrir, identificar e lidar com as próprias emoções. Nesse sentido, os indivíduos mais introspectivos costumam se identificar mais com tarefas de escrita, projetos independentes e pesquisa, por exemplo.

Dentro de sala de aula, atividades individuais e trabalhos que exigem dos alunos algum tempo isolados são maneiras de desenvolver o lado intrapessoal de cada um. Porém, deve existir uma dosagem entre as atividades introspectivas e os trabalhos em grupo, para que os estudantes tenham uma formação completa em todos os aspectos. 

  1. Interpessoal

Ao contrário da abordagem intrapessoal, aqui entra em cena a habilidade interpessoal, característica muito presente em pessoas extrovertidas. Afinal, nos referimos à capacidade de desenvolver relacionamentos e de relacionar-se com o mundo, bem como aprender a conviver com as semelhanças e diferenças que as pessoas possuem. Neste caso, trabalhos em grupo, atividades esportivas, organização de eventos e grupos de discussão costumam agradar os alunos mais extrovertidos.

De forma geral, uma das melhores maneiras de aplicar a interpessoalidade em sala de aula é por meio da realização de trabalhos que reúnam pequenas equipes. Afinal, nesses momentos, cada aluno deve expor sua própria opinião sobre determinado assunto, ouvindo também o que os colegas têm a dizer e realizando as tarefas juntos. Ou seja, os alunos devem pensar em prol do coletivo.

  1. Espacial/Visual

Geralmente, os indivíduos que possuem maior noção espacial têm facilidade para interpretar gráficos, imagens, esquemas e organogramas, por exemplo. Também podem ser estudantes que exploram mais o aspecto visual do conhecimento, atentando-se para pinturas, fotografias e outros conteúdos gráficos.

Por isso, a habilidade espacial pode ser desenvolvida por meio do contato com mapas, objetos geométricos, filmes, conteúdos multimídia e até jogos de lógica, já que demandam atenção e observação. Além disso, o desenvolvimento da capacidade espacial melhora as noções de sentido e de direção, e torna a capacidade de criação dos estudantes mais aguçada.

  1. Linguística

Os estudantes do tipo linguístico costumam se expressar com as palavras e valorizar os momentos que incluem o aprendizado por meio de histórias, poemas e outros textos. Ou seja, se interessam pelas aulas de redação, de literatura, de teatro e até pelas discussões em grupo, por exemplo.

A aprendizagem linguística é fundamental para a leitura, a escrita e a compreensão oral. Nas escolas, seu desenvolvimento pode ser feito a partir da produção e interpretação de textos de diferentes estilos, da leitura, do resumo de livros e, inclusive, do estudo de uma segunda língua.

  1. Lógico-matemática

Os alunos matemáticos possuem maior facilidade para a resolução de problemas, sobretudo de lógica. Por vezes, esses estudantes também estão interessados em pesquisas científicas. Por isso, é através das atividades lógico-matemáticas que se desenvolve a compreensão da ciência e a capacidade de resolver questões complexas.

Nesse sentido, as habilidades lógico-matemáticas são aguçadas em sala de aula a partir da realização de experimentos e experiências, exercícios, desafios e por meio da análise de tabelas e gráficos, por exemplo.

  1. Musical

A habilidade musical está relacionada à capacidade de interpretar sons e músicas, distinguir composições, tocar instrumentos e decorar letras, cifras e partituras. Portanto, os indivíduos musicais costumam ser criativos e curiosos.

As aulas de música são fundamentais para o desenvolvimento dessas competências tão importantes, inclusive para o mercado de trabalho. Contudo, para além dessas aulas, a escola pode incentivar todos os seus alunos a participarem de shows de talentos, de projetos artísticos, de musicais e de peças de teatro, por exemplo.

Para que os professores ensinem seus alunos de acordo com os vários estilos de aprendizagem, é preciso atenção e flexibilidade. Afinal, é preciso reconhecer o perfil de cada estudante naquele momento específico. Além disso, também é importante colocar os jovens em contato com as diferentes formas de aquisição do conhecimento, estimulando o desenvolvimento de novas competências e habilidades. Assim, a sua escola fica ainda mais atrativa para todos os seus estudantes!

No blog do COC você encontra muitos outros materiais sobre temas relevantes para a sua escola. Ficou curioso? Acesse e confira!

4 aspectos que sua escola precisa mudar para ser mais inclusiva

Como escolher o melhor material didático para a sua escola?