No nosso dia a dia, é comum estarmos em uma situação em que resolvemos uma questão ou concluímos algo através do raciocínio lógico, não é mesmo? Esse tipo de pensamento flui de maneira natural, pois somos estimulados a desenvolver essa capacidade a todo momento.

Na escola, por exemplo, ao se deparar com exercícios e ter contato com algumas disciplinas, essa habilidade se torna mais apurada no estudante, e isso será positivo no futuro. Mas como a instituição pode contribuir com essa formação dos seus alunos? No texto de hoje, você vai acompanhar algumas dicas. Veja!

Aprender jogando

Diversos jogos, virtuais ou não, estão repletos de conceitos lógicos, e neles o usuário precisa raciocinar para alcançar um objetivo. Dessa forma, fazer com que os seus alunos tenham contato com essas atividades é uma forma divertida de desenvolver o pensamento lógico.

Xadrez, sudoku, palavras-cruzadas, jogos de cartas, entre tantos outros são ótimos estimulantes, tanto para crianças quanto para os adolescentes exercitarem a capacidade de tomar decisões e de tirar conclusões baseados em premissas ou regras pré-estabelecidas ou observadas no decorrer da prática.

Aulas de programação e robótica

As áreas de programação e robótica são ótimas opções para a escola que deseja desenvolver o pensamento lógico nos alunos, devido às demandas que elas colocam naturalmente para a conclusão de atividades.

Aprender as linguagens de programas e organizar os comandos para que algo seja executado são ações diretamente ligadas ao raciocínio lógico, já que o estudante vai observar semelhanças, códigos e possibilidades para cada tipo de ação.

Por exemplo, se uma pessoa abre uma página na internet, ela tem muitas possibilidades de ação, como baixar e subir a barra de rolagem, fechar a página, diminuir e aumentar a tela, clicar em uma série de botões e links etc. Tudo isso precisa ser pensado com antecedência por um programador, para que após cada decisão do usuário, novos comandos sejam executados.

Para realizar tudo isso, é preciso ser lógico e limitar alguns comandos, para que aquilo que foi programado cumpra com o objetivo real.

Incentive o cuidado com o corpo

Desenvolver a capacidade de aplicar um conhecimento lógico nas situações do dia a dia está ligado também a uma boa prática física e mental do nosso corpo, por isso é preciso cuidar da alimentação e do sono e fazer exercícios físicos com regularidade.

Nesse sentido, a escola possui um papel fundamental de instruir e demonstrar para as crianças e jovens a importância de manter a mente e o corpo saudáveis. Sendo assim, promova piqueniques mais conscientes, com o consumo de frutas e comidas menos prejudiciais à saúde, por exemplo. Incentive também a prática de exercícios físicos e de esportes que os façam estar sempre em movimento.

Prática musical

O uso do raciocínio lógico também é profundamente importante no aprendizado de instrumentos musicais, por isso essa prática também ajuda a estimular o seu desenvolvimento. 

Conseguir compreender as notas, diferenciá-las, ser capaz de seguir uma sequência de orientações com o objetivo de emitir determinado som, no timbre certo e no momento adequado são algumas das tarefas de quem aprende a tocar um instrumento. Com o tempo e a evolução, nota-se que a pessoa não precisa mais ficar olhando a partitura ou prestando atenção no que os outros estão fazendo; tudo é feito naturalmente.

Nesse caso, o progresso com a música ajuda a alimentar o raciocínio lógico, além disso esse pensamento contribui para uma capacidade ainda maior de aprender mais sobre as canções e ferramentas musicais.

Conclusão

Não existe apenas uma forma de desenvolver o pensamento lógico nos estudantes da sua escola. Tal feito só é possível graças a uma série de atividades e estímulos que podem ser tirados de várias situações cotidianas, seja resolvendo um exercício, seja aprendendo mais sobre robótica, tocando um instrumento ou uma série de outras ações.

Gostou deste texto? Então confira no blog do COC outros artigos sobre educação.