As pessoas ao redor do mundo estão se protegendo e buscando proteger as suas famílias para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Para os alunos, esse é um momento importante de adaptação, já que estão passando por um período de aprendizado em casa. A escola e os professores têm um papel importante neste momento, pois devem passar as orientações de ensino para dar continuidade ao que estava sendo feito em sala de aula e também deixar claro como continuará daqui pra frente. 

Além disso, é natural que os alunos se questionem sobre o assunto e que queiram saber mais sobre isso. Na escola ou a distância, é interessante compartilhar informações confiáveis, baseadas em fatos sobre a Covid-19, mas nada que cause medo ou ansiedade. Reunimos algumas dicas para as equipes pedagógicas prepararem conversas sobre a pandemia e a prevenção do coronavírus com alunos de diferentes idades e etapas de ensino. Confira!

Educação infantil

Para conversas com as crianças que estão na educação infantil, é interessante abordar os pontos a seguir:

  • Enfatizar bons hábitos, como cobrir o nariz e a boca, com a parte interna do cotovelo flexionado, ao espirrar ou tossir. 
  • Estimular a frequente higiene das mãos, usando água e sabão por, pelo menos, 20 segundos. Essa é a forma mais segura de evitar o contágio e a transmissão do vírus. Pode ser uma conversa divertida, com músicas e danças. Planeje o monitoramento da lavagem das mãos e parabenize as crianças que a fizerem corretamente. 
  • Demonstre os sintomas, como espirros, febre e tosse, usando bonecos ou com um teatro de marionetes. Mostre o que deve ser feito se eles se sentirem doentes (se a cabeça doer ou se sentirem muito cansaço, por exemplo), e como estar ao lado de uma pessoa que está doente, praticando a empatia e o cuidado. Ah, e lembre-os de sempre seguir as medidas de prevenção!
  • Quando as atividades forem realizadas em sala de aula, em que os alunos se sentam em roda, organize as crianças mais afastadas umas das outras. Diga para abrirem os braços e esse será o espaço mantido entre os colegas.
  • Para as crianças menores, é interessante que a conversa sobre a pandemia não tenha conteúdos muito negativos ou pesados, mas não encubra a realidade! Explique a situação, como começou e como podemos evitar, sempre com um tom de tranquilidade e sem usar termos muito complicados ou científicos. 

Ensino fundamental I

Para os alunos do 1º ao 5º ano, as dicas para conversar sobre a pandemia são:

  • É bem provável que as crianças falarão sobre as suas preocupações e farão muitas perguntas. Por isso, os educadores devem responder às perguntas de forma adequada e de acordo com cada idade. Não passe muitas informações de uma vez só, para não ficar pesado. Estimule as crianças a falar sobre seus sentimentos e debata sobre as reações que elas conseguem observar.
  • Reforce que as crianças são capazes de ser responsáveis pela própria segurança e também pela segurança das outras pessoas. Explique o conceito de distanciamento social e os motivos para ficar afastado dos amigos, evitar aglomerações e não tocar as pessoas desnecessariamente, por exemplo. 
  • Fale sobre hábitos saudáveis, como cobrir o nariz e a boca com a parte interna do cotovelo flexionado ao tossir ou espirrar, e lavar as mãos com água e sabão com frequência, por exemplo. Dessa forma, as crianças entenderão como se prevenir e controlar a proliferação da doença. 
  • Demonstre como lavar as mãos por 20 segundos e quais os locais que não devem ser esquecidos. É possível fazer algumas atividades, como colocar uma quantidade de tinta guache nas mãos dos estudantes, lavar as mãos apenas com água e pedir para que percebam quanta tinta restou e onde. Em seguida, repita a lavagem, mas com água e sabão.
  • Faça uma atividade para os estudantes analisarem textos, identificarem comportamentos de risco e sugerirem atitudes mais seguras.

Ensino fundamental II e ensino médio

No período do 6º ao 9º ano e nos três anos do ensino médio, é interessante os educadores conduzirem a conversa da seguinte forma:

  • Primeiramente, escute os estudantes e quais são as suas preocupações. Responda às perguntas que surgirem, baseando-se em fatos e estudos confiáveis. 
  • Fale da importância de se proteger e de proteger o próximo e explique o porquê da necessidade de ficarem distantes uns dos outros neste período. Foque nos hábitos saudáveis, em como agir ao espirrar ou tossir e na importância de lavar as mãos frequentemente. Além disso, fale para os alunos compartilharem essas orientações com seus familiares.
  • Estimule-os a expressar seus sentimentos e explique que o medo ou o estigma deixam tudo mais difícil. O período da pandemia pode gerar diferentes reações nas pessoas, como a discriminação, que todos nós podemos vivenciar, mas também evitar. Explique como lidar com essas situações e como perceber a importância das palavras. Elas devem ser usadas com cuidado e podem impedir atitudes desnecessárias na sociedade!
  • Leia sobre o que não deve ser feito ao se falar sobre o coronavírus e o que deve. 
  • Se a escola tiver um grêmio estudantil, promova ações sobre saúde pública. Os estudantes também podem produzir anúncios sobre a saúde individual para a divulgação na escola.
  • Relacione as disciplinas escolares com assuntos importantes de educação em saúde, como a transmissão de doenças, a importância das vacinas, a história das pandemias e a evolução das políticas de saúde pública. Incluir diferentes mídias na aula também pode ajudar no desenvolvimento do pensamento crítico e da cidadania.

Sempre conduza as atividades e conversas considerando as necessidades dos estudantes e as orientações das autoridades educacionais. Além disso, consulte sempre fontes confiáveis para informar e educar os alunos.

Quer outras dicas para a sua escola? Fique ligado no blog do COC e acompanhe os posts.

6 dicas para manter as crianças saudáveis na escola

Como ensinar as vogais?