Você sabia que no dia 2 de abril é celebrado o Dia Mundial da Conscientização do Autismo? A data é comemorada para que as pessoas diagnosticadas com esse transtorno tenham cada vez mais espaço na sociedade e para que consigam ter uma vida normal, começando pela educação. Neste texto, vamos mostrar como as escolas e os educadores podem conscientizar a si mesmos e seus alunos sobre o autismo. Acompanhe!

Saiba o que é o autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou simplesmente autismo, é um distúrbio psiquiátrico que atinge a comunicação e a capacidade de interação social e de aprendizado. As pessoas com autismo, quando diagnosticadas ainda crianças, aumentam as chances de conseguirem se desenvolver nos aspectos citados, mas isso quando recebem um acompanhamento psicológico regular. 

O espectro pode se manifestar de diferentes maneiras. Existem casos em que algumas dificuldades se manifestam com mais ênfase do que outras, por exemplo, para uma pessoa pode haver uma maior dificuldade de concentração e de criar relações sociais e afetivas, já para outra a fala pode ser a mais comprometida. Há também casos de autistas que são superconcentrados em uma tarefa e dificilmente se distraem.

Saiba os cuidados necessários

Por ser um distúrbio com diferentes sintomas e características, é fundamental que a escola esteja sempre em contato com os pais dos alunos com autismo. Assim eles podem passar informações a respeito da maneira como a criança ou o adolescente deve ser abordado durante as aulas, visando sempre o bem estar de todos.

Fale sobre o tema abertamente

Promova conversas e palestras para que alunos, professores e colaboradores conheçam o tema, colocando sempre em pauta a ideia de que todos merecem respeito e têm o direito de serem aceitos como são.

Tenha espaços adaptados

Por falta de espaço, nem todas as escolas conseguem se adaptar corretamente para atender às demandas de alunos com deficiências e distúrbios. Porém, no caso do autismo, é importante que haja um local reservado para onde o aluno possa ir quando estiver em crise ou incomodado com alguma situação. Além disso, os funcionários devem estar preparados para prestar ajuda se for necessário.

Acolha o aluno nesse espectro

Nem sempre os alunos encontram um ambiente dócil, que entende as suas condições e que respeite as suas limitações e dificuldades. Isso prejudica ainda mais o processo de desenvolvimento do autista, portanto crie um ambiente acolhedor, onde ele se sinta à vontade e seja respeitado. Para os demais estudantes, será um grande exemplo de tolerância e de amor ao próximo.

Como você pode perceber, o autismo se manifesta de diferentes maneiras, e cada um tem uma característica mais acentuada. Portanto, caso haja um caso em sua escola, procure conversar com os pais para entender qual a melhor maneira de interagir com o estudante. 

Confira mais textos que estão em nosso blog. 

A importância da inclusão de alunos com Down na escola

Como aplicar as tendências de tecnologia na sua escola