A facilidade de acesso a qualquer tipo de informação contribuiu para a mudança significativa daquilo que é ensinado dentro das escolas. Formar cidadãos conscientes se tornou tão importante quanto garantir que os estudantes passem no vestibular.

Um tema bastante apontado nas discussões sobre os rumos da educação no país é o do ensino de finanças e empreendedorismo para os jovens. O COC separou para este artigo alguns motivos para a sua instituição adotar aulas sobre esses tópicos. Acompanhe:

1 - Estimula o controle financeiro

Encontramos com facilidade pessoas que afirmam que só foram ter contato com assuntos relacionados à vida financeira quando atingiram a idade adulta. O problema disso é que se criou uma cultura de pessoas que não sabem ou não conseguem conciliar os gastos com aquilo que recebem.

Ao terem aulas básicas sobre finanças e empreendedorismo, os estudantes aprendem, desde o período escolar, alguns conceitos fundamentais para manter uma vida equilibrada, além de desenvolver sua capacidade de controle. 

É preciso, no entanto, tomar cuidado com a forma como esses conceitos são passados aos estudantes. Trazê-los para dentro das situações e dar exemplos próximos a eles é uma forma de prender mais a atenção de crianças e adolescentes e de tornar o aprendizado mais significativo.

2 - Leva ao uso consciente dos recursos

Além de estimular o controle financeiro, é fundamental que se ensine a usar com consciência os recursos que eles têm em mãos. Através das aulas de empreendedorismo e educação financeira, esses conceitos ficam mais fáceis de serem compreendidos pelos estudantes da sua escola. 

No futuro, certamente, esses alunos serão adultos mais antenados e responsáveis com a gestão do seu dinheiro e, dependendo da formação profissional, com a receita de uma empresa.

3 - Desenvolve a responsabilidade

A responsabilidade é algo que vai acompanhar uma pessoa durante toda a vida e em diferentes aspectos. Sendo assim, é preciso saber desenvolver essa habilidade nas crianças e jovens, para que esse processo seja o mais natural possível.

Ao terem contato com um assunto tão importante, como é o caso de empreendedorismo e de finanças, os alunos tendem a se tornarem mais responsáveis e passam a agir assim no dia a dia. Essa é uma lição relevante que a escola pode passar para seus estudantes.

4 - Ensina lições básicas

Nesse tipo de aula, os professores podem ensinar lições básicas sobre a relação com o mercado, com transferências e com pagamentos, e tirar dúvidas simples sobre coisas que geralmente só descobrimos na hora em que estamos diante de uma situação adversa. 

Sabendo disso, a geração atual de estudantes já chegará à vida adulta com essas informações e poderá se concentrar em aprender mais sobre assuntos mais complexos.

Conclusão

As aulas de educação empreendedora e financeira não podem ser monótonas e cheias de conceitos complexos. É preciso respeitar o desenvolvimento de cada turma e apresentar o conteúdo de forma didática e lúdica para que assim eles não se sintam desconfortáveis ao estudar esses temas. 

Gostou desse texto? Então confira no blog do COC nossos outros artigos!