O estudo individual de um aluno é um momento fundamental para que ele se coloque diante dos conteúdos aprendidos em sala de aula e crie mecanismos para memorizar as informações, destacar as mais importantes e praticar muito! Seja para fazer uma lição de casa, seja para tirar uma boa nota ou para adquirir mais conhecimento, estudar é sempre importante.

Por isso, existem diversas formas de realizar essa atividade de maneira mais eficiente. Separamos cinco técnicas diferentes que você pode mostrar ao seu filho para que ele tente adaptá-las à rotina. Acompanhe!

1 - Resumos

Um dos métodos mais tradicionais de estudo são os resumos. Mas, embora muito utilizados, é preciso saber produzi-los com qualidade. É comum que os estudantes exagerem na quantidade de informações escritas em um resumo e que, no final das contas, o documento se transforme quase em uma cópia do livro ou do texto original. 

Dessa forma, oriente seu filho a ler uma vez o conteúdo, em seguida ler mais uma vez destacando os pontos mais importantes e, depois, escrever com as próprias palavras aquilo que ele julga relevante para o entendimento da matéria. É interessante também dar ênfase às palavras-chave, para que o cérebro acione mecanismos de memória e facilite todo o processo de aprendizado.

2 - Autoexplicação

Nessa forma, explora-se o uso de diferentes sentidos do corpo humano durante a prática do estudo. Seu filho poderá utilizar o livro ou o próprio resumo para ler em voz alta, e conforme se depara com um conceito que precisa ser explicado e definido, ele faz uma pausa na leitura, desenvolve uma linha de raciocínio sobre o fato e depois volta a ler o que faltar. 

Ao utilizar a visão e a audição, o seu filho terá mais facilidade para guardar as informações, pois é comprovado que quanto mais sentidos utilizamos durante uma atividade de concentração, como estudar, mais ligações o cérebro produz para armazenar os dados. Sendo assim, não deixe de sugerir para o seu filho que ele use o resumo feito e complemente o estudo com esse método.

3 - Castelo de ideias

Para quem tem uma boa imaginação, o castelo de ideias pode ser uma boa forma de estudar. A dinâmica funciona assim: o estudante deve pensar em um castelo (pode ser a casa em que mora também) e traçar uma rota imaginária, por exemplo, entre a porta de entrada até o banheiro do quarto principal. 

Feito isso, é necessário desmembrar a disciplina que se está estudando em pontos-chave para associá-los aos cômodos do castelo. Vamos exemplificar: seu filho está estudando taxonomia, portanto deve se lembrar da ordem de classificação dos seres vivos. Então, ele deverá se imaginar fazendo o caminho da porta até o quarto e, a cada ambiente da casa, associar um nível taxonômico. Nesse caso, podemos ter:

Porta de entrada (Reino), hall (Filo), sala de estar (classe), escadas (ordem), corredor (família), quarto principal (gênero) e banheiro (espécie). Essa forma mais ilustrada de estudar uma matéria é ótima para deixar o tema em foco mais palpável e próximo do estudante.

4 - Estudo mnemônico

Brincar com as palavras e abreviações também pode ser um jeito eficiente do seu filho se lembrar de informações importantes, principalmente nas disciplinas de exatas, nas quais se usam muitas fórmulas. O método mnemônico é aquele em que se pega uma abreviação e cria-se uma frase ou outra palavra mais fácil para se lembrar de um conceito. 

Mostre para o seu filho o seguinte exemplo: ele está estudando o movimento retilíneo uniforme em física, e a fórmula base para descobrir os elementos é S = S0 + V . ∆t.

Para memorizar com mais facilidade, seu filho pode falar que “S” é igual a "sorvete". Em que "sor" representa a posição "S0", o "ve" é o mesmo que a velocidade "V" e o "te", é o espaço de tempo "∆t".

5 - Testes e simulados

Por fim, nada melhor do que aplicar todo o conhecimento adquirido nas longas horas de estudo do que fazendo testes e simulados. Nesse sentido, o COC oferece um Ciclo de Simulados completo para o seu filho participar. Esse é o momento para que ele se concentre e coloque em prática aquilo que aprendeu. Além de ser importante também para detectar aquilo que precisa ser mais estudado até o dia das avaliações escolares e vestibulares. 

Conclusão

É importante destacar que não existe uma forma certa para estudar; afinal, cada pessoa aprende, compreende e memoriza de maneiras diversas. Sendo assim, é importante conhecer essas diferentes técnicas para encontrar a que melhor se encaixa com o perfil de aluno do seu filho.

Gostou deste texto? Então confira no blog do COC outros artigos sobre como ajudar seu filho nos estudos!