O uso dos porquês é comumente confundido no dia a dia. A grafia e a sonoridade parecidas fazem com que, muitas vezes, não os utilizemos da forma correta, tornando-se uma das normas da língua portuguesa que os seus falantes mais erram quando escrevem. Conheça suas quatro formas de escrita e não se confunda mais:

Por que

O por que possui três maneiras de ser aplicado em uma oração. A primeira delas é o seu emprego no início de orações interrogativas. A segunda maneira de utilizar o por que separado e sem acento é para substituir a ideia de “por qual motivo” , podendo ser empregado no meio de orações afirmativas. Já a terceira aplicação diz respeito à substituição dos termos “pelo qual” ou “pela qual”.

Por que você ainda não comeu? -> Por qual motivo você ainda não comeu?

Não consigo entender por que você não gosta dela. -> Não consigo entender por qual motivo você não gosta dela.

A lasanha dela é a razão por que eu esperei a semana inteira. -> A lasanha dela é a razão pela qual eu esperei a semana inteira.

Porque

O porque é classificado como conjunção subordinativa causal. Como seu próprio nome diz, esse tipo de conjunção indica causa e é usado para explicar algo, substituindo o “pois” neste caso. Pode também ser usado na resposta a uma pergunta.

Eu como berinjela porque gosto do sabor. -> Eu como berinjela pois gosto do sabor.

Ele está com dor porque fez muito exercício físico. -> Ele está com dor pois fez muito exercício físico.

Minha mãe não vai à praia porque tem medo de água. -> Minha mãe não vai à praia pois tem medo de água.

Por quê

O por quê separado e com acento é sempre utilizado ao final das frases. Apesar de o mais comum ser o emprego em sentenças interrogativas, também é possível utilizá-lo em orações afirmativas e negativas. Pode ser substituído pelos termos “por qual razão” ou “por qual motivo”.

Você não foi à aula hoje, por quê? -> Você não foi à aula hoje por qual motivo?

Você não comeu? Por quê? -> Você não comeu? Por qual razão?

O Rodolfo foi embora e nem disse por quê. -> O Rodolfo foi embora e nem disse por qual motivo.

Você não me contou por quê. -> Você não me contou por qual razão.

Porquê

O porquê junto e com acento é classificado como substantivo. Porquê sempre pode ser substituído pelas palavras “motivo” ou “razão”.

Não sabemos o porquê do seu baixo desempenho nas provas. -> Não sabemos a razão do seu baixo desempenho nas provas.

Ninguém sabe o porquê de ela ter voltado mais cedo da viagem. -> Ninguém sabe o motivo de ela ter voltado mais cedo da viagem.

Gostaria de saber os porquês de ter sido escolhida. -> Gostaria de saber os motivos de ter sido escolhida.

Entender as normas gramaticais é essencial não só para manter uma boa comunicação, mas também para se sobressair em outras áreas, como é o caso da vida profissional. O domínio da língua portuguesa é exigido em diversas situações, e estudá-la pode abrir portas para o futuro.

Gostou de conhecer o uso dos porquês? Veja outros conteúdos que podem te interessar:

O que são pronomes? Para que eles servem?

Como fazer um resumo eficiente?

Quais são as melhores faculdades do mundo?

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!