Dentro da linguística, o estudo e a classificação das palavras recebe o nome de morfologia. Essa área do conhecimento é responsável por entender a estrutura e a formação das palavras de maneira isolada, e não de acordo com seu papel em uma determinada oração. Ao todo, são dez classes divididas entre classes de palavras e classes gramaticais. Neste post, nós vamos ajudar você a desvendar os segredos por trás de uma delas: os adjetivos. Vamos lá?

O que é um adjetivo

Os adjetivos compreendem a classe gramatical cuja função é acompanhar e modificar os substantivos, atribuindo-lhes características ou particularidades. Vamos acompanhar um exemplo.

Rapaz desonesto.

Perceba que nessa construção a palavra desonesto atribui uma característica ao rapaz. Ela pode também ser empregada ao lado de outros substantivos, flexionando seu gênero ou número.

Moça desonesta.

Companheiros desonestos.

Nesse caso, é importante ressaltar que aqui essa palavra expressa um atributo. O mesmo não acontece com desonestidade, por exemplo, que é classificada morfologicamente como substantivo.

Por isso, é importante ter em mente que os adjetivos sempre exercem a mesma função morfológica, atuando como adjunto adnominal e predicativo.

A classificação dos adjetivos

Os adjetivos podem ser classificados dentro de duas grandes classes: adjetivos restritivos e adjetivos explicativos. Acompanhe.

Adjetivos explicativos

Os adjetivos explicativos são responsáveis por exprimir uma qualidade inerente ao ser, ou seja, ele explica uma qualidade própria.

Areia quente da praia pode queimar os seus pés.

Neve fria caiu sobre as ruas nessa madrugada.

O céu azul é típico de um lindo dia de primavera.

Adjetivos restritivos

Já enquanto adjetivo restritivo, uma palavra é capaz de atribuir características específicas e tornar um determinado ser único entre um grupo.

O funcionário paulistano pensou que esta quinta-feira seria feriado.

O céu alaranjado iluminava o entardecer.

Os políticos corruptos enganam o eleitorado com facilidade.

Formação de adjetivos

Quanto à sua formação, os adjetivos podem ser distribuídos em quatro categorias diferentes. Acompanhe.

Adjetivo simples

É aquele que apresenta apenas um elemento, ou seja, possui um único radical.

São exemplos: feliz, mau, quadrado, magro, brasileiro, cômico, rico, leal, otimista.


Adjetivo composto

É aquele que apresenta mais de um radical.

São exemplos: luso-brasileiro, amarelo-canário, surdo-mudo.


Adjetivo primitivo

É um adjetivo que origina outras palavras.

São exemplos: belo, bom, notável, azul, triste, nobre, pai, anel.


Adjetivo derivado

São os adjetivos originados de outras palavras.

São exemplos: belíssimo, bondoso, notabilíssimo, azulado, tristonho, infeliz, paterno, anelar.

Os adjetivos pátrios

É muito comum encontrarmos os adjetivos pátrios em nosso dia a dia. Sua função é, essencialmente, descrever a nacionalidade ou o local de onde um determinado ser se origina. Confira alguns exemplos:

São Paulo - paulista

Rio de Janeiro - carioca

Curitiba - curitibano

Amapá - amapaense

Amazonas - amazonense ou baré

Estados Unidos - norte-americano ou estadunidense

Uruguai - uruguaio

Portugal - português

África do Sul - sul-africano

Japão - japonês

O adjetivos pátrios podem ainda configurar-se como adjetivos compostos. Nesse caso, o primeiro elemento aparece em sua forma reduzida. São exemplos:

África - prefixo afro? afro-americano

Português - prefixo luso ? luso-brasileira

Espanhol - prefixo hispano? hispano-portuguesa

Chinês - prefixo sino?  sino-japonês

Francês - prefixo franco? franco-italiano

O caso das locuções adjetivas

Em algumas situações, o léxico português não permite o uso de uma única palavra como adjetivo. Por isso, usamos o que é chamado de locução adjetiva, uma construção linguística na qual um substantivo vem precedido de uma preposição (e, em, com, sem). Confira alguns exemplos:

A portade entrada fica em frente, virando na próxima rua, à esquerda.

A casade tijolos está abandonada há muitos anos.

Todas as caixasde papelão que estavam na loja foram molhadas pela chuva.

Nesse caso, é muito importante compreender que também existem expressões que permitem a substituição da locução por um único adjetivo. Por isso, é necessário atenção e, claro, bom senso na hora de utilizá-los. Veja algumas situações:

O volume pluvial deste mês foi muito acima da média. (pluvial = de chuva)

A energiaeólica classifica-se como uma ótima fonte sustentável de energia. (eólica = de ventos)

Ganhei um colarebúrneo como presente de aniversário. (ebúrneo = de marfim)

Percebe como o nosso último exemplo soou muito estranho? Por isso, atente sempre às expressões mais comuns na língua, adequando o seu vocabulário e os adjetivos da sua frase da melhor forma.

Flexionando os adjetivos

Os adjetivos possuem a capacidade de se flexionar de acordo com o gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural).

Flexão de gênero

Assim como os substantivos, os adjetivos são divididos em dois grandes grupos:

Adjetivos uniformes

São os adjetivos que possuem uma forma única, não possuindo variáveis para o gênero feminino ou masculino.

São exemplos: feliz, frágil, maior, simples, audaz, comum, leal, ímpar.

Adjetivos biformes

São os adjetivos que possuem duas formas diferentes, uma para o gênero feminino e outra para o masculino.

São exemplos: mau e má, loiro e loira, carinhoso e carinhosa, vazio e vazia, severo e severa.


Nesse caso, vale ressaltar que para os adjetivos compostos, somente o segundo adjetivo sofre a flexão de gênero. Exemplo: cidadã afro-americana.

Flexão de número

Os adjetivos também podem ser flexionados em singular ou plural.

Adjetivos simples

No caso dos adjetivos simples, a flexão deve obedecer o número do substantivo. Se o substantivo indica singular, o adjetivo permanece no singular. O mesmo vale para o plural: quando o substantivo indica pluralidade, o adjetivo é flexionado para acompanhá-lo. Veja:

Menino feliz.

Meninas más.

Jogadoras brasileiras.

Livro cômico.

Amigos leais.

Adjetivos compostos

Para os adjetivos compostos, apenas o segundo adjetivo deve ser flexionado de maneira a acompanhar corretamente o substantivo a que se refere. O primeiro elemento deve ser mantido no masculino e no singular. Entenda:

Rapazes latino-americanos.

Calças azul-escuras.

Partidos social-democráticos.

No entanto, vale ressaltar que quando o adjetivo composto é formado por um adjetivo e seu segundo elemento é um substantivo, não deve haver variação de número. Veja:

Vestido amarelo-ouro. ? Vestidos amarelo-ouro.

Blusa verde-oliva. ? Blusas verde-oliva.

Meia amarelo-laranja. ? Meias amarelo-laranja.

Atenção!


  • No caso das cores, azul-marinho e azul-celeste configuram duas exceções. Ambos os adjetivos são invariáveis e devem sempre ser empregados no singular.

  • Já para o adjetivo composto surdo-mudo, a concordância de gênero e número deve ser feita em ambas as palavras.


Graus de adjetivação

Os adjetivos podem ainda flexionar-se em grau, de maneira a indicar a intensidade de uma determinada característica. Podem ser classificados como comparativos ou superlativos.

Comparativo

No caso do grau comparativo, existe a ideia de comparação de uma mesma característica entre dois seres ou a comparação de dois seres baseada em uma mesma particularidade. Tal relação pode assumir o caráter de igualdade, superioridade ou inferioridade. Confira os exemplos:

Comparativo de igualdade

Eu sou tão altaquanto você.

Indica que determinado adjetivo é expresso com a mesma intensidade para dois seres ou eventos diferentes. Ele pode ser reconhecido pela presença das palavras como, quanto ou quão.

Comparativo de superioridade analítico

Eu sou mais velhado que você.

Seu papel é indicar que determinada característica é mais intensa em um dos seres ou eventos da oração. Normalmente, a frase é estruturada pela presença da expressão mais, seguida do adjetivo e da construção que/do que.

Comparativo de superioridade sintética

Eu sou maior do que você.

Quando o comparativo entre dois seres é expresso de maneira sintética, ele faz uso dos adjetivos melhor, pior, maior e menor.

Comparativo de inferioridade

Eu sou menos altado que você.

Aqui, entendemos que o adjetivo expresso é menos intenso em um dos seres da oração.

Superlativo

O superlativo tem a função de expressar determinadas características em um grau extremamente superior. Também divide-se em duas categorias:

Superlativo absoluto

É quando um determinado adjetivo é intensificado sem ser relacionado a outros seres.

Gustavo é um professor muito sábio.

Joaquim é um homem muito cruel.

Fernanda é uma garota muito boa.

Nesses casos, a oração é classificada como analítica. Repare que a intensificação do adjetivo ganha o reforço com um advérbio de intensidade (muito, extremamente e bastante, por exemplo).

Gustavo é um professor sapientíssimo.

Joaquim é um homem crudelíssimo.

Fernanda é uma garota boníssima.

Já aqui, o superlativo absoluto é classificado como sintético. Repare como a intensificação do adjetivo ocorre com o acréscimo do sufixo.

Superlativo relativo

Esse tipo de superlativo acontece quando um ser tem uma de suas características exaltadas diante de um grupo.

Júlia é a atleta mais forte da região. ? Superlativo relativo de superioridade

Júlia é a atleta menos forte da região. ? Superlativo relativo de inferioridade

E aí, curtiu nossas explicações sobre adjetivos? Caso você esteja estudando morfologia da língua portuguesa, nós temos mais alguns posts que podem te interessar:

O que é um substantivo e para que ele serve?

O que são os advérbios e para que eles servem?

Baixe o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia de estudos. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!