A gramática normativa portuguesa é bastante complexa e cheia de detalhes. Por isso, é comum cometermos equívocos na hora de escrever e também de falar. Alguns desses erros fazem parte dos chamados vícios de linguagem. Neste texto, vamos te explicar o que são e quais são eles, para que você possa evitá-los no seu dia a dia. Confira!

O que é o vício de linguagem?

É considerado um vício de linguagem qualquer erro ou desvio da norma-padrão do português nos campos da fonética (relacionada à pronúncia), da semântica (relacionada à construção de frases) e da morfologia (ligada ao estudo das palavras isoladas). Confira agora a classificação dos vícios de linguagem:

1 - Barbarismo

É o erro de escrita, de pronúncia ou de significado das palavras. Veja os exemplos:

“Adevogado” ao invés de “advogado”.

“Rúbrica” ao invés de “rubrica”.

“Pobrema” ao invés de “problema”.

2 - Estrangeirismo

Está relacionado à preferência do uso de palavras estrangeiras, mesmo havendo opções de mesmo significado no português. Confira!

Upgrade” em vez de “atualização”.

Show” em vez “espetáculo”.

Menu” em vez de “cardápio”.

3 - Solecismo

É o nome dado ao erro de concordância, de colocação pronominal e de regência nominal ou verbal. Observe os exemplos.

“Acabou os doces!” quando o correto é “Acabaram os doces!”.

“Carlos não emprestou-me seu livro.” quando o correto é “Carlos não me emprestou seu livro.”.

“Eles foram no banheiro!” quando o correto é “Eles foram ao banheiro!”.

4 - Ambiguidade ou anfibologia

Sabe quando você lê ou escuta uma frase que pode ter mais de uma interpretação? O nome deste vício de linguagem é ambiguidade ou anfibologia. Veja algumas frases ambíguas:

“Falei com o meu amigo que estava cansado!”

Nesta frase não dá para saber quem está cansado; se é o locutor ou o amigo.

“Jorge estava com Paulo falando de sua namorada!” 

Também não fica claro de quem é namorada sobre a qual Jorge e Paulo estão falando.

“O policial prendeu o suspeito em sua casa!” 

Não sabemos na casa de quem o suspeito foi preso.

5 - Obscuridade

É a falta de informação ou de clareza na construção de uma sentença. Muitas vezes, a escolha inadequada da ordem das palavras causa essa confusão. Observe.

“Quando as normas, mesmo tendo sido apresentadas e impressas para os alunos, para que não venham dizer depois que desconheciam as regras da escola, são desobedecidas, é muito ruim.”

“O caráter dos estrategistas em campo vai aumentar a performance da equipe.”

“Não foi feita a efusão de sangue inútil.”

6 - Cacófato ou cacofonia

Trata-se da sequência de duas ou mais palavras que, quando faladas juntas, formam uma nova, geralmente de mau gosto.

“Por cada” (porcada)

“Eu amo ela” (moela)

“Eu vi ela” (viela)

7 - Colisão

É o som, por vezes desagradável, produzido quando se pronunciam palavras iniciadas com a mesma consoante em sequência. Observe!

“Sua saia sujou.”

“Pedro Pereira pinta portas e paredes por preços populares.”

“O rato roeu a roupa do Rei de Roma.”

8 - Hiato

É o som dissonante produzido quando se pronunciam palavras iniciadas com vogais. Confira.

“Ou eu ou ela.”

“Ana a ama!”

“Ele iria à aula comigo.”

9 - Eco

A repetição de palavras com finais sonoros parecidos ou iguais, que gera um som de eco. Veja os exemplos!

“O policial deu flagrante no meliante.”

“Atenção à promoção de macarrão!”

“Ele ficou contrariado no último feriado.”

10 - Pleonasmo

Consiste num reforço desnecessário de uma informação, geralmente por meio de palavras de mesmo significado. Observe!

“Encarar de frente.”

“Elo de ligação.”

“Subir pra cima.”

Agora que você já conhece os vícios de linguagem, está mais fácil de evitá-los até nas conversas informais, não é mesmo? Confira em nosso blog outras dicas e explicações sobre o uso correto da gramática.

Gerúndio e gerundismo: qual a diferença?

Concordância nominal: como funciona?

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!