Os objetos de uma oração referem-se aos termos que completam o sentido do verbo, ou seja, assim como o complemento nominal e o agente da passiva, esses termos são considerados termos integrantes da oração.

Esse conteúdo é comumente cobrado nos principais concursos e vestibulares do país, sendo de extrema importância não só para o uso correto da língua, mas também para garantir pontos na parte de gramática das provas. Os objetos diretos e indiretos estão dentro da classificação de análise sintática. Vamos lá?

Objeto direto

Os objetos diretos sempre complementam verbos transitivos diretos, ou seja, aqueles que precisam de algo que complete seu sentido na oração. Sem esse complemento, a ação do verbo é considerada incompleta. Para identificar esse tipo de objeto, é bem simples:

  1. Identifique o sujeito e o verbo da oração.
  1. Se o sujeito e o verbo conseguem obter a resposta para “o que” com o restante da frase, temos um objeto direto. Veja alguns exemplos para facilitar:

Camila comprou uma bolsa ontem.

 Sujeito + verbo O.D.


Pedro vai ganhar um carro ano que vem.

sujeito + verbo O.D.


Eduardo chutou a bola com força.

sujeito + verbo O.D.


Como você pode reparar, o objeto direto tem como função complementar a ação do verbo. Esse termo integrante ajuda a responder a pergunta sobre “o que” sofreu a ação verbal na oração. Além disso, outra forma de identificar se o termo integrante é objeto direto, é se for possível substituí-lo por pronomes oblíquos.

Mariana perdeu o namorado na rodoviária. - Mariana perdeu-o na rodoviária.

sujeito + verbo O.D.

Objeto direto preposicionado

Os objetos diretos não necessitam ser antecedidos de preposição, mas como veremos a seguir, é possível utilizá-las dependendo do contexto. Essa modalidade de objeto direto é utilizado para fins estilísticos principalmente em dois casos: para dar ênfase ao conteúdo ou evitar ambiguidade na frase.


Eu não odeio ninguém.

sujeito + verbo prep. O.D.

Objeto indireto

Diferentemente do objeto direto, o indireto é acompanhado de preposição em todos os contextos. Em resumo, objeto indireto é o termo que completa o sentido do verbo transitivo indireto. Nesse tipo de termo integrante, a pergunta feita a essa modalidade de verbo é “de que” ou “em que”, principalmente. Veja alguns exemplos de objeto indireto:

Ruan não confia em seus irmãos.

sujeito + verbo preposição O.I.


Gabriel gosta de música.

sujeito + verbo prep. O.I.


Eu duvidei da opinião da Letícia.

sujeito + verbo prep. O.I.


Viu como é simples? Assim como diversos outros conteúdos gramaticais, aprender sobre os termos integrantes da oração não é difícil; é necessário apenas ter atenção na hora de classificá-los. E lembre-se: são assuntos essenciais para quem deseja um bom resultado nos vestibulares.

Gostou de aprender sobre isso? Veja outros posts que podem te interessar:

O que é um substantivo e para que ele serve?

Quando usar por que, porque, por quê e porquê?

O que são advérbios e para que servem?

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!