O formato de texto mais requisitado pelo Enem e vestibulares é a redação dissertativa argumentativa. Por meio da proposição de um tema, o enunciado pede que os alunos demonstrem sua capacidade de argumentação lógica acerca da defesa de uma tese.

Para a produção de um texto coeso, coerente e de acordo com o assunto proposto, o candidato deve apresentar um bom conhecimento da norma padrão da língua, somado a uma adequação ao formato de texto proposto.

Nos itens abaixo nós explicamos os principais pedidos que regem esse formato de texto, bem como algumas dicas fundamentais para produzi-lo com propriedade e segurança. Vamos lá?

Introdução

A introdução é formada por duas partes principais: a apresentação do tema e a exposição da tese. Primeiro, imagine que o seu leitor não possui informações prévias sobre o que o texto irá tratar. Portanto, você precisa contextualizá-lo já no primeiro parágrafo. Para tal, você pode utilizar alguns recursos, como:

Declaração inicial

O texto se inicia com uma frase afirmativa, que já traz algumas definições sobre o tema e introduz o leitor ao assunto de maneira direta e objetiva.

Alusão histórica

Para apresentar o tema, o candidato se utiliza de um contexto histórico que possa estabelecer ligações diretas com os fatos ocorridos no presente. É importante que essa retomada histórica no início do texto não sirva apenas para tentar mostrar conhecimento. Suas implicações devem estar intimamente relacionadas com o recorte do tema, servindo como uma base para complementar o pensamento da tese.

Citação

O tema central do texto pode ser apresentado com citações de livros ou qualquer publicação de personalidades ou estudiosos do assunto.

Interrogação

Você pode apresentar o tema através de uma indagação que contextualize o leitor acerca do assunto e proponha as discussões da sua tese.

Juntamente com a apresentação do tema, o candidato precisa propor ainda na introdução a sua tese, chave central do texto. É o coração da redação dissertativa argumentativa e todos os escritos posteriores deverão corroborá-la. A tese representa sua visão crítica acerca do assunto da proposta.  

Há estruturas textuais que ajudam a construir uma tese forte e embasada em argumentos, como:

Divisão do tema

Em casos de propostas que são muito amplas, é possível que você escolha um recorte específico para construir os questionamentos da sua tese. Só é preciso tomar cuidado para não fugir do assunto principal ou apenas tangenciá-lo.

Comparação

Você pode construir um paralelo econômico, social ou político entre duas realidades. A partir daí, com uma argumentação sólida, apresente o ponto de vista que resume sua tese.

Contestação de ideias

Durante a apresentação do tema, você pode trazer algumas afirmações que serão contrastadas pela sua proposta de tese.

A introdução é o momento em que você apresenta os temas que serão retratados ao longo do texto. Você pode citar e enumerar os argumentos a serem defendidos no desenvolvimento. Os recursos textuais utilizados vão depender muito do assunto proposto e do seu estilo de escrita. Por isso, é importante treinar bastante para praticar os mais diversos estilos para escrever uma dissertação.

Dicas para a introdução

Todas os recursos utilizados para a escrita da sua introdução devem ter uma aplicação lógica para a construção dos seus argumentos. Não coloque elementos apenas para completar o número de linhas , muito menos para tentar chamar a atenção do corretor. Pense no seu texto como uma série de blocos que devem ser encaixados de maneira precisa e ordenada.

A sua tese não é apenas uma reprodução do tema, mas sim a sua visão crítica sobre o mesmo. Aqui entra todo o repertório formado durante sua vida: os textos que leu, os filmes que assistiu e as aulas dos professores na escola, por exemplo. Além disso, você contará com suas visões de mundo, seus valores e também sua personalidade. Por isso, é fundamental que você esteja constantemente lendo notícias, acessando diferentes pontos de vista, consumindo conteúdos culturais e se inteirando sobre o que acontece no mundo.

Desenvolvimento

O desenvolvimento será a parte do texto em que o aluno fornecerá informações e argumentos que sirvam para comprovar o ponto de vista apresentado na tese. Para a construção da argumentação, há uma série de recursos textuais que podem ser usados, como:

Método dedutivo

É um estilo de argumentação que consiste na proposição de uma premissa verdadeira e coletivamente aceita, como por exemplo:

Todo ser humano possui o direito à vida.

Na frase seguinte você propõe um questionamento, como:

Porém, os limites entre a defesa da própria vida em detrimento de outras são muito tênues e necessitam de profunda análise.

Nos períodos seguintes você pode apresentar argumentos e outras informações que levem o leitor até o seu argumento principal.

Método indutivo

Consiste na apresentação de informações e dados a fim de convencer o leitor a adotar um pensamento próximo ao escrito. Veja o exemplo:

Segundo a pesquisa, **70% dos jovens disseram que perderam o interesse em assistir televisão. Além disso, **75% disseram que preferem se informar pela internet. Assim, é possível ver uma crescente diminuição da influência da TV sobre os jovens e um aumento grande do poder da internet sobre essa população.

** dados fictícios.

Tópico frasal

É a frase que indica o que será dito no parágrafo. Assim, é possível apresentar ao leitor a temática que ele encontrará nessa parte do texto. As frases seguintes virão para desenvolver o pensamento proposto no tópico frasal.

É importante montar uma estrutura em que cada parágrafo trate de apenas um argumento, evitando assim se confundir e perder a coesão textual no meio de várias ideias paralelas.

Referências históricas

Para reforçar seus argumentos, você pode se utilizar de uma retomada histórica que venha a justificar ações praticadas no presente. Assim, é possível oferecer uma análise profunda que busque as raízes da situação-problema, demonstrando como ela vem sendo tratada ao longo do tempo.

Análise de dados

Utilize dados estatísticos, gráficos, tabelas, números, pesquisas e qualquer outra informação que contribua para o desenvolvimento de sua tese. O importante é que os dados não funcionem apenas como números, mas sim como uma base que sustenta sua argumentação. Os textos de apoio costumam oferecer opções interessantes que podem ser aproveitadas ao longo da sua redação.

Comparações

Esse recurso demonstra sua capacidade argumentativa de selecionar dois pontos de vista diferentes e estabelecer relações entre eles, tanto semelhantes quanto contrárias. Você pode utilizar comparações de dados, de cenários políticos, de governos ou de modelos econômicos, por exemplo.

Exemplificação

Utilize-se de casos tangíveis para elucidar suas argumentações. Eles podem vir para complementar ou mesmo para contrapor dados e comparações, por exemplo.

Contra-argumentação

Apresente um ponto de vista e, na sequência, desconstrua-o com argumentos baseados em análise de informações ou em exemplificações. O objetivo é levar o leitor a enxergar os equívocos da afirmação primária e vir a concordar com suas considerações.

Dicas para o desenvolvimento

Em suma, o desenvolvimento funciona para convencer o leitor de que sua tese é baseada em argumentos concretos e bem fundamentados. Por isso, é importante que você apresente dados e proposições coesos, baseados em provas e distantes de “achismos”.

O texto dissertativo-argumentativo precisa de informatividade, contendo fatos, dados e referências. O Enem valoriza o candidato que consegue dar um caráter multidisciplinar ao seu texto, conectando as argumentações a teorias científicas ou filosóficas, às leis da Física, a princípios do direito; ou qualquer outra base teórica de diferentes disciplinas.

Preocupe-se em não transformar a dissertação apenas em um texto de informação. Como o próprio nome diz, ela também é argumentativa. Assim, é necessário que você se posicione em relação aos dados fornecidos, sendo favorável ou sendo contrário a eles.

Textos de apoio

Os textos de apoio costumeiramente fornecidos pelo exame do Enem, por exemplo, têm o objetivo de dar ideias acerca do tema. Eles podem apresentar diferentes perspectivas sobre o assunto, além de dados, estatísticas e opiniões. É comum que eles sejam apresentados também através de charges e tabelas, por exemplo.

É importante que você utilize os textos de apoio como guias, muitas vezes empregando os dados e estatísticas neles contidos. Porém, para elaborar uma tese concreta e bem fundamentada, você precisará usar seu repertório pessoal e suas perspectivas de mundo. Aproveitar totalmente o discurso dos enunciados oferecidos para construir seu ponto de vista irá deixar sua redação pobre e fora do objetivo de analisar sua capacidade de usar os conhecimentos próprios para defender ideias.

A sua escrita é livre e não precisa concordar com os textos de apoio. É sempre bom utilizá-los, mas não se prenda a eles. Além disso, nunca copie frases e dados do texto. Cada linha copiada será descartada, podendo ocasionar uma diminuição drástica da sua nota final.

Conclusão

A conclusão é o momento em que você irá amarrar todas as ideias apresentadas a fim de reafirmar a tese defendida. Além disso, é nela que você apresenta a proposta de intervenção requisitada por exames como o Enem.

É importante entender que você não deve apenas terminar o texto, mas sim fechar todo o ciclo argumentativo e lógico que se iniciou na introdução. É preciso que o leitor compreenda o discurso que você construiu e termine a redação sem dúvidas ou indagações quanto a suas ideias.

A estrutura ideal pede que as primeiras linhas sejam utilizadas para reapresentar sua tese e os principais argumentos utilizados para defendê-la. Aqui você irá afirmar novamente ao leitor tudo o que você se propôs a dizer durante toda a redação. Para iniciá-la você pode utilizar alguns conectivos de conclusão como portanto, em suma, logo e enfim.

Proposta de intervenção

O Enem pede que o texto dissertativo-argumentativo ofereça uma proposta de intervenção para a situação-problema apresentada no tema. É um método de avaliar como o candidato consegue apresentar resoluções práticas e possíveis dentro da sociedade. Para a construção dessa parte, é preciso responder a três perguntas principais: “quem”, “o quê” e “como”!

Quem

São os agentes que possuem algum poder de realizar as mais diversas ações. Podem ser governamentais, como autoridades e governos; midiáticos, como a televisão e o rádio; a família; o cidadão; o internauta; ONG’s e qualquer outro da sociedade que possa ter um papel ativo na solução da situação-problema.

O quê

É a proposta em si, apresentando um plano do que deve ser feito para tratar do tema. Não é indicado que você dê soluções vagas como “é preciso atentar ao problema”, “é preciso tomar consciência”, “é preciso tomar medidas efetivas” e outras nesse sentido. Vá direto ao ponto e ofereça uma proposição mais específica.

Como

O candidato elucida como se dará a proposta de intervenção, que pode ser através de políticas públicas, campanhas na mídia, mudanças na legislação, mudanças de hábitos diários e outras ações.

Dicas gerais

Mais algumas dicas são importantes para te ajudar com a redação: ao ver a proposta do tema, pense em todos os seus conhecimentos que podem ajudar na construção de uma tese clara e objetiva. Observe os textos de apoio e veja o que pode retirar deles para corroborar suas proposições.

Depois, pense na estrutura do seu texto, dividindo-o corretamente. É indicado que para redações dissertativas argumentativas, como a do Enem, você as divida em introdução, desenvolvimento e conclusão. Uma boa média é destinar 1 parágrafo para a introdução, 2 ou 3 para o desenvolvimento e 1 para a conclusão.

O seu texto precisa ser completamente construído para levar o leitor a uma tese estruturada e baseada em argumentos lógicos e sustentados por informações, dados e referências. Além disso, você deve se preocupar com as questões da escrita, prestando atenção à coerência tanto interna quanto externa.

Coerência interna

Refere-se à disposição dos elementos do texto a fim de construir um discurso coeso e coerente. O uso das palavras e a organização das ideias devem estar na mesma sintonia, para permitir um entendimento claro e objetivo do leitor.

Coerência externa

A redação precisa estar de acordo com a realidade do que é proposto. Um texto dissertativo não pode conter elementos fantasiosos. Além disso, utilize a linguagem formal e adequada ao modelo de escrita exigido.

Portanto, para redigir uma redação que se adeque aos moldes do Enem, é preciso que o candidato possua um rico domínio do regimento padrão da língua portuguesa, estudando gramática e aprendendo temas como o uso do correto dos substantivos, dos advérbios, dos porquês e da concordância verbal.

Além disso, para ter repertório suficiente para formular boas teses, é preciso buscar por referências das mais variadas. Assista a filmes, leia jornais, procure notícias de portais confiáveis, leia livros e esteja sempre disposto a ver mais de uma perspectiva sobre o mesmo tema. Esses são os melhores métodos para se preparar e garantir uma boa nota na prova!

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!