Dois termos que podem causar confusão quando estamos estudando a gramática do português ou até escrevendo um texto no dia a dia, são “há” e “a”. Essas duas palavrinhas têm o mesmo som, mas são escritas de maneira diferente e não têm o mesmo significado. Para ajudar você a tirar as dúvidas quanto ao uso de “a” e “há”, reunimos as explicações e alguns exemplos de como e quando usar esses termos da língua portuguesa. Confira abaixo!

O “há” é uma das formas do verbo “haver”, por isso podemos usá-lo quando a oração é sem sujeito (impessoal) e o verbo tem o sentido de “existir”. Esse termo é uma forma verbal na terceira pessoa do singular do presente do indicativo. 

um belo castelo nesta cidade. - Existe um belo castelo nesta cidade.

E mesmo que a sentença esteja no plural, “há” continua no singular:

muitos erros neste texto. - Existem muitos erros neste texto.

O “há” também pode ser utilizado em frases que se referem ao tempo passado, e pode ser substituído pelos verbos “fazer” ou “ter”.

Há muitos anos que não vejo a Ana. - Faz muitos anos que não vejo a Ana.

Há muito tempo que não como pizza. - Tem muito tempo que não como pizza.

ATENÇÃO!

É comum ver o uso desse termo com a palavra “atrás”:

Estive nos Estados Unidos um ano atrás.

Porém, “há” já está sendo utilizado como referência a algo do passado, por isso fica redundante usar “atrás” na mesma frase. O correto seria:

Estive nos Estados Unidos um ano.

Estive nos Estados Unidos um ano atrás.

A

A preposição “a” é utilizada antes de substantivos e, ao contrário do “há”, que se refere ao passado, é também usada para falar do futuro. Além disso, essa preposição também pode aparecer nas frases quando falamos de distância. Veja:

Daqui a dois anos irei para a Austrália.

Estamos morando a três quilômetros do mercado.

Também pode indicar o destinatário de uma ação: 

Eu disse a ela que estava tudo bem.

Além disso, a preposição “a” pode aparecer em locuções de duas ou mais palavras, sendo que o sentido surge pela junção dos termos, e não da palavra sozinha. 

Daqui a pouco vai chover.

Eu faço a mesma coisa dia a dia.

ATENÇÃO: crase

Pronomes pessoais não pedem o artigo "a", portanto não se deve colocar o acento grave:

Deu a ela muitos cumprimentos pela conquista.

Ofereceram a nós muita ajuda.

Viu como não é difícil entender o uso de “a” e “há”? Veja outros posts sobre língua portuguesa no blog do COC:

Modos verbais: quais são e como usar?

Entenda os vícios de linguagem!