Na língua portuguesa, entre os termos essenciais de uma oração está o sujeito, nomenclatura dada às palavras que determinam sobre o que ou quem declara algo em uma frase. A informação da frase em si, que é relacionada diretamente ao verbo, recebe o nome de predicado.

As orações podem conter sujeitos determinados e indeterminados, ou ainda não terem um sujeito. Para te ajudar a diferenciar essas situações, preparamos uma revisão com tudo o que você precisa estudar para mandar bem nas provas. Vamos lá?

Sujeito determinado

Os sujeitos determinados podem ser facilmente identificados em uma oração. Eles são classificados em simples, composto ou implícito.

Sujeito simples

O sujeito simples é formado por apenas um núcleo, ou seja, o verbo da oração se refere diretamente a uma única palavra. Para encontrá-lo, basta perguntar quem realizou a ação indicada. Acompanhe:

Arthur irá ao cinema amanhã à noite.

No exemplo acima, ao questionar “quem irá ao cinema amanhã à noite?”, a resposta automaticamente será Arthur. Portanto, o sujeito da oração é Arthur. Como apresenta apenas um núcleo, ele é classificado como um sujeito simples. Confira mais alguns exemplos:

O gato está escondido em cima da árvore.

Pedro viajou no último fim de semana.

A calça jeans rasgou.

A noite está muito estrelada hoje!

É importante lembrar que no caso do sujeito simples, o substantivo (plural ou singular), pronome ou numeral pode indicar mais de uma pessoa, mas é construído de apenas um núcleo. Entenda:

Duas meninas estão pulando corda em frente à minha casa.

Na oração, ao perguntar quem está pulando corda em frente à minha casa, a resposta é duas meninas. Nesse caso, nos referimos a mais de uma pessoa com apenas um substantivo (meninas), portanto trata-se de um sujeito simples. Veja outras situações:

Nós escrevemos um livro juntos.

Os cinco foram viajar ontem pela manhã, por isso, não estão em casa agora.

Todos estavam presentes na aula.

Sujeito composto

O sujeito composto é constituído por mais de um núcleo, ou seja, o verbo da oração se refere a dois ou mais substantivos, pronomes ou numerais. Veja:

Felipe e Lucas estão jogando videogame.

Nesse exemplo, a resposta para a pergunta “quem está jogando videogame?” é Felipe e Lucas. Portanto, trata-se de um sujeito composto com dois núcleos, pois ambos os sujeitos mencionados estão realizando a ação. Confira outros exemplos:

Livros e filmes de terror são os meus favoritos.

Bisteca, Paçoca e Fubá, meus três cachorros, estão correndo no jardim.

Eu e ele não estamos mais namorando.

Sujeito implícito

Também conhecido como sujeito elíptico, desinencial ou oculto, esse tipo de sujeito diferencia-se dos outros, pois ele não está presente na frase de maneira explícita. Veja:

Fomos a um restaurante ótimo no último final de semana.

Novamente, para encontrar o sujeito, questionamos quem realizou a ação - quem foi a um restaurante ótimo no último final de semana? Nesse caso, só é possível responder à pergunta com ajuda da desinência verbal.

(Nós) Fomos a um restaurante ótimo no último final de semana.

Na frase acima, o sujeito é oculto porque o pronome nós não aparece na oração. Repare que nesse caso, apesar de não estar explícito, ainda é possível identificar quem realizou determinada ação analisando o verbo. Veja mais algunsexemplos:

(Eu) Estou muito feliz com meu novo emprego.

(Nós) Chegamos tarde, pois o trânsito estava muito caótico na região.

(Ela) Ficou encantada com o que viu.

Sujeito indeterminado

Como vimos anteriormente, um sujeito pode ser determinado, ou seja, pode indicar de maneira clara a quem ou a que o verbo se refere, sendo classificado como simples, composto ou implícito.

No entanto, uma oração também pode se apresentar com um sujeito que não é identificável. Nesse caso, a estrutura recebe o nome de sujeito indeterminado. Vamos ao exemplo:

Deixaram a louça suja sobre a pia novamente.

Nesse caso, não é possível identificar quem deixou a louça sobre a pia. Um sujeito é classificado como indeterminado quando a frase omite a informação propositalmente, não permitindo entender a quem ou a que tal acontecimento se refere. Confira outros exemplos:

Disseram que a data da prova será alterada.

Acredita-se que três goles de água podem curar soluços.

É possível identificar facilmente a ocorrência desse tipo de sujeito tendo em mente quais são as flexões verbais usadas. São elas:

Verbo na 3ª pessoa do plural

Conjugar o verbo na 3ª pessoa do plural, sem fazer referência a um termo previamente identificado em outra frase, não permite determinar quem é o sujeito.

Tiraram uma foto minha enquanto estava distraída.

Esqueceram a chave de um carro sobre a mesa da cantina.

Verbo na 3ª pessoa do singular + pronome “se”

Essa conjugação verbal, acrescida do pronome “se”, não permite que o sujeito seja identificado por causa do índice de indeterminação do sujeito. Vale lembrar que essa construção só é possível com verbos que não precisam de um complemento direto - ou seja, verbos intransitivos, transitivos diretos e de ligação.

Acredita-se que o aquecimento global causa elevação do nível do mar. ? Verbo intransitivo

Precisa-se de um novo revisor de texto. ? Verbo transitivo indireto

Nem sempre se tem sorte em jogos de tabuleiro. ? Verbo de ligação

Verbo no infinitivo impessoal

Nessa conjugação, o verbo apresenta um sentido genérico, não referindo-se a uma pessoa específica e apresentando-se em sua forma invariável.

É cansativo estudar tantos conteúdos em um único dia.

Seria interessante organizar uma rotina de estudos.

Cuidado para não se confundir ao classificar frases com as palavras algo ou alguém. Apesar de ambas serem classificadas como pronomes substantivos indefinidos, uma oração na qual apareçam possui um sujeito simples. Confira:

Algo aconteceu ontem à tarde.

Alguém deixou uma encomenda para você.

Nos dois casos, a ação é realizada por alguém ou é algo que aconteceu. Dessa maneira, as duas orações são classificadas como sujeito determinado simples.

Oração sem sujeito

Quando uma frase possui a enunciação pura de um fato, apenas com seu predicado, ela é classificada como uma oração sem sujeito. Nessa situação, a mensagem em si não é atribuída a um agente específico. Veja exemplos:

Choveu granizo hoje pela manhã.

Havia uma fila enorme nos caixas do mercado.

Os casos mais comuns de orações sem sujeito acontecem com duas construções verbais. Entenda quais são:

Verbos ligados aos fenômenos da natureza

Verbos utilizados para descrever fenômenos naturais, como chover, gear, ventar, nevar e relampejar, por exemplo, estão presentes em orações sem sujeito. Veja:

Nevou em Nova York enquanto estávamos lá.

Relampejou durante toda a noite.

É importante salientar que quando empregados no sentido figurativo, os verbos relacionados aos fenômenos naturais podem compor orações com sujeitos determinados.

Choveram elogios ao seu trabalho de conclusão de curso.

Aqui, o sujeito é determinado (elogios) e o verbo chover está empregado em seu sentido figurado.

Amanheceuexausto.

Nesse exemplo, o sujeito da oração é oculto (ele), pois o verbo é figurado.

Verbos ser, estar, fazer e haver para descrever fenômenos naturais ou tempo

Quando empregados para designar um período de tempo ou fenômeno meteorológico, os verbos ser, estar, fazer e haver compõem orações sem sujeito.

Verbo ser

É manhã. ? Período do dia

Ontem foi dia 21 de outubro. ? Data

Verbo estar

Está muito abafado nesta tarde. ? Temperatura

Está muito cedo. ? Tempo

Verbo fazer

Faz dois meses que não vejo meu marido. ? Tempo

Faz, em média, 30º C no verão brasileiro. ? Temperatura

Verbo haver

Não falo com ela há semanas. ? Tempo

Havia muitas flores no jardim de casa. ? Verbo haver no sentido de existir

Com exceção do verbo ser, os verbos impessoais devem sempre ser conjugados na terceira pessoa do singular. Os verbos fazer e haver não devem ser usados no plural. Confira alguns exemplos:

Faz anos que não vou à praia.

Deve fazer muito calor nos próximos dias.

Há muitas pessoas preocupadas com a situação política do país.

Entender os diversos elementos de sintaxe da língua portuguesa vai te ajudar a melhorar ainda mais sua redação. Confira outros posts que podem te interessar:

8 figuras de linguagem que você precisa saber reconhecer

Como começar uma redação dissertativa

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos. Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!