Imagem de capa: réplica do 14-bis exposta em Petrópolis, Rio de Janeiro. Foto de 2014.

A autoria da invenção do avião ainda gera debates. Enquanto os brasileiros creditam o feito a Santos Dumont, em 1906, os norte-americanos, por exemplo, atribuem o primeiro voo da história aos irmãos Wright, três anos antes, em 1903. Para responder à pergunta, porém, é necessário entender os argumentos de cada lado e estudar o contexto histórico da época e das pesquisas iniciais no campo da aviação. Vamos lá?

Contexto da invenção

É muito difícil definir um único inventor para o avião, e pode ser até injusto. Na virada do século XX, diversas pessoas ao redor do mundo trabalharam no desenvolvimento da aviação, causando um efeito chamado multiple discovery - ou “descoberta múltipla”, em português. Essa hipótese afirma que uma descoberta científica ou invenção pode ser realizada por dois ou mais pesquisadores ao mesmo tempo, sem necessariamente estabelecerem contato entre si.

Invenções tão complexas como o avião dependem da evolução de uma série de processos, como a melhoria da qualidade dos materiais e o aprofundamento dos estudos de mecânica. Por isso, é difícil creditar todo o trabalho a uma única pessoa. No livro The Myth of the Sole Inventor, o pesquisador da Universidade de Stanford, Mark A. Lemley, defende que “pesquisas de centenas de novas tecnologias significativas mostram que quase todas elas são inventadas simultaneamente ou quase simultaneamente por duas ou mais equipes trabalhando independentemente umas das outras. A invenção parece, em grande parte, ser um fenômeno social, não individual.”, diz ele em tradução livre.

Por isso, podemos voltar ao período entre o final do século XIX e o início do século XX e perceber que o nascimento da aviação como a conhecemos passou pelas mãos de vários inventores. O alemão Otto Lilienthal, por exemplo, criou uma espécie de asa acoplada ao próprio corpo que planava no ar, o que acabou resultando em sua morte ao pular de um penhasco com o modelo, em 1896.

Imagem: Foto de Otto Lilienthal, o primeiro homem a ser fotografado em voo, 1896. Fonte: Smithsonian National Air and Space Museum.

Já o francês Octave Chanute trabalhou a partir do projeto desenvolvido por Lilienthal, produzindo um modelo com asas duplas. Em 1901, surgiram publicações de jornais afirmando que o alemão Gustav Albin Weisskopf, também conhecido como Whitehead, havia voado em um objeto bem próximo ao formato de um avião. Porém, não há comprovações oficiais da época.

Irmãos Wright x Santos Dumont

Dentre os inventores, três deles se destacaram na “corrida” pela criação do avião: os irmãos Wright (Orville e Wilbur) e Santos Dumont. Os norte-americanos - assim como o portal on-line da Nasa - defendem que o primeiro voo motorizado da história foi realizado no dia 17 de dezembro de 1903, na cidade de Kitty Hawk, nos Estados Unidos, com os irmãos Wright a bordo do modelo Flyer.

O feito dos irmãos Wright foi presenciado por poucas pessoas no local, principalmente porque eles desejavam trabalhar em segredo para evitar problemas com os registros das patentes. À época não houve filmagem nem reconhecimento presencial de aeroclubes.

A principal crítica à validade da experiência dos irmãos Wright como “a invenção do avião” é o fato de que a máquina utilizou uma catapulta para alçar vôo. Assim, se considerarmos como parte do conceito de “vôo” de um avião o levantamento do chão por conta própria, o feito não se encaixaria. Porém, se considerarmos “vôo” somente como estabilizar um objeto movido a motor no ar, poderíamos colocar a experiência dos irmãos Wright como a primeira da história.

Imagem: Foto do teste do Flyer III, em 1905. Fonte: Wright-brothers.org

Segundo o portal on-line do memorial aos irmãos Wright, os norte-americanos Orville e Wilbur, a bordo do modelo Flyer 3, também voaram por cerca de 39 quilômetros em 1905. Assim, ainda que a experiência anterior seja invalidada devido à impulsão pela catapulta, esse poderia ser considerado o primeiro vôo da história, já que para se manter por 40 minutos no ar e percorrer uma distância tão grande, é preciso contar com um sistema bem desenvolvido. O grande problema é que esse vôo foi registrado por imagens, sem a chancela de órgãos oficiais na época, o que levou ao questionamento da veracidade do ocorrido conforme noticiado.

Já de acordo com o jornal britânico The Independent e com o portal on-line da Força Aérea Brasileira, o primeiro vôo em público foi um feito brasileiro. Em 23 de outubro de 1906, a bordo do 14-bis, o inventor Alberto Santos Dumont sobrevoou o campo de Bagatelle, na capital francesa.

Imagem: Foto de Santos Dumont a bordo do 14-bis em 1906. Fonte: UOL.

O feito foi presenciado por mais de mil pessoas e filmado. Além disso, recebeu o reconhecimento do Aeroclube de Paris e foi homologado pela FAI (Federation Aéronautique International) ao cumprir requisitos como ser documentado e decolar por meios próprios - sem rampa ou catapulta. Cabe salientar que tal federação só foi criada em 1905; logo, os irmãos Wright não poderiam fazer o mesmo com o voo do Flyer em 1903.

Então, podemos dizer que tanto os irmãos norte-americanos quanto Dumont tiveram um papel muito importante no desenvolvimento da aviação. É possível considerar que a ação de Santos Dumont foi mais eficiente e contou com uma documentação mais precisa. Isso não desconsidera o feito dos irmãos Wright, importante para fundamentar as primeiras experiências a bordo de uma máquina voadora.

Santos Dumont, o “Pai da Aviação”

Independentemente da discussão sobre ser o primeiro a voar dentro de um avião, Santos Dumont recebeu e ainda recebe homenagens mundo afora. No Brasil, detém o título de Pai da Aviação e é um dos 45 brasileiros a figurar na lista do “Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria”.

Contudo, as contribuições do brasileiro não pararam no 14-bis. Em 1907, ele desenvolveu o Demoiselle, considerado o primeiro ultraleve da história. Como Dumont não registrava suas patentes, suas ideias foram utilizadas por outros pesquisadores e serviram como base para o nascimento dos aviões comerciais.

Por fim, a resposta à pergunta do título é uma questão de ponto de vista. Como a invenção do avião foi muito importante para a história da humanidade, é compreensível que diferentes países tentem assumir tal autoria. Considerando o conceito de múltipla descoberta, também é plausível entender que, de fato, ocorreram várias “invenções” ao mesmo tempo, e cada inventor teve sua parcela de contribuição.

Dessa maneira, Santos Dumont de fato inventou o avião? Sim e não. Antes dele, os irmãos Wright tiveram experiências de sucesso com os seus protótipos e são considerados por muitos como os pioneiros no assunto. Porém, isso não tira a importância de Dumont, que foi responsável por realizar o primeiro vôo documentado e homologado à época.

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!