A civilização asteca foi uma das mais importantes a habitar a América pré-colombiana, vinda da região onde, atualmente, é a Califórnia, ocupou o planalto mexicano no fim do século XII, entre 1300 e 1521. Os astecas dominaram as outras tribos da região e construíram um império teocrático, ou seja, um governo religioso. Foram 500 cidades e 15 milhões de habitantes, desde o golfo do México até o Oceano Pacífico. 

Ao chegarem à América, os europeus se depararam com dois tipos de formação social: as comunidades primitivas e as civilizações asteca e inca, já que os maias já haviam sido extintos. A mais importante cidade do Império Asteca era Tenochtitlán, fundada em 1325, e com 300 mil habitantes em 1450. Hoje em dia, nessa região fica a Cidade do México. Os Astecas foram extintos após a chegada dos espanhóis, no século XVI. Quer saber mais sobre essa civilização? Acompanhe o texto!

Origem 

O povo asteca, termo que significa "povo de Aztlán", chegou à Mesoamérica - região que se inicia na América do Norte e vai até a Central - no século XIV. A tradição diz que a origem desse povo é a ilha de Aztlan, localizada no norte do México ou no sul dos Estados Unidos. Porém, não se tem certeza se essa cidade realmente existiu, nem sobre a sua localização exata. 

Os Astecas migraram do norte para o sul e se estabeleceram às margens do lago Texcoco, e poucos anos depois, fundaram a cidade de Tenochtitlán. A tradição diz que o local foi indicado pelo deus Huitzilopochtli ("Beija-flor do Sul"). Na capital, as canoas eram o principal meio de transporte, já que havia uma rede de canais. 

Sociedade e Economia 

A sociedade asteca era dividida em castas bem definidas. Os nobres ficavam no topo da hierarquia, como sacerdotes, guerreiros e membros da família, pessoas próximas ao rei e o chefe supremo ou o governante da cidade. Abaixo, estava a população formada por mercadores, camponeses, artesãos e agricultores. Os camponeses podiam ocupar e usar a terra mediante o pagamento de um imposto ou de trabalho gratuito na construção de obras públicas.

Ainda mais abaixo, estavam os escravos, que geralmente eram prisioneiros de populações dominadas, e, às vezes, serviam de sacrifício aos deuses. O forte da economia asteca era a agricultura, e, em seguida, o artesanato e o comércio. O alimento básico era o milho, e como não existia dinheiro, a semente de cacau era a referência de valor, considerada símbolo de riqueza e de poder. 

Política 

Os astecas também eram divididos em clãs. A capital Tenochtitlán era composta por 20 clãs relativamente autônomos e com suas próprias terras e administração. Eram reunidos em 4 fratrias - divisões políticas e religiosas - em zonas determinadas da cidade. Cada clã tinha um representante no Conselho Supremo para exercer as funções jurídicas e políticas, como eleger os comandantes militares das fratrias. A característica da política asteca era democrática, mas, próximo à conquista espanhola, a prática da monarquia hereditária era muito comum. 

Cultura 

A civilização asteca tinha força na arquitetura, principalmente em esculturas com símbolos religiosos e pinturas que retratavam cenas mitológicas e históricas. Tinha também boas técnicas para a construção de palanques, de rampas de transporte, de obras de irrigação e de represas, além de dominar a escrita pictórica, com desenhos de objetos e figuras; e usar a escrita hieroglífica, baseada em símbolos e sons. 

Os astecas tinham conhecimentos de medicina, astronomia e matemática, tanto que elaboraram um calendário solar e agrícola. Os astros eram observados pelos sacerdotes e consultados sobre diversos assuntos. Já o imperador os consultava sobre guerras e mudanças de tempo. 

Religião 

O povo asteca tinha devoção a Huitzilopochtli, o deus do Sol do meio-dia e da guerra, e o culto a esse deus era acompanhado da devoção a Coatlicue, mãe de Huitzilopochtli; ao Tezcatlipoca, deus da noite; ao Quetzalcoatl, deus da sabedoria; e ao Tlaloc, deus da chuva. O templo do deus do Sol tinha mais de 30 metros de altura, e, a cada 52 anos, os astecas construíam um novo templo sobre o anterior como forma de agradecimento aos deuses pelo mundo não ter acabado. Esses templos eram locais de cerimônias e rituais de sacrifício.

Na capital Tenochtitlán ficava a pirâmide mais importante , chamada de Templo Maior, construída a partir de 1375, e que passou por diversas ampliações. No topo, havia dois altares dedicados ao deuses Tlaloc e a Huitzilopochtli. 

Declínio do Império

O Império Asteca se estendeu até a Guatemala, tendo seu auge em 1519, no reinado de Montezuma II. O seu poder durou até a chegada dos espanhóis, que se aliaram a outros povos contra os astecas. Montezuma foi feito prisioneiro pelos europeus e morreu em 1520. Em 1521, o povo asteca foi derrotado e a cidade de Tenochtitlán foi arrasada. Templos foram destruídos e as peças de ouro foram derretidas. No lugar da capital asteca, os espanhóis construíram a atual Cidade do México, que até hoje guarda um dos patrimônios culturais da sociedade pré-colombiana: as ruínas do Templo Maior. 

Essas são algumas das principais informações sobre a civilização asteca. Quer saber mais sobre outras civilizações pré-colombianas? Confira os posts do COC:

Civilizações pré-colombianas: quem foram os incas?

Civilizações pré-colombianas: quem foram os maias?