A reta final de preparação para o Enem já chegou, e é hora de tirar as suas dúvidas sobre essa prova tão importante! Para te ajudar, nós respondemos algumas das questões mais comuns entre os candidatos sobre a prova de redação. Neste post, você confere como é feita a correção, quais são as competências avaliadas, por que uma redação pode ser zerada e como está a questão relacionada ao respeito dos direitos humanos na edição de 2019. Vamos lá?

Como é feita a correção da redação do Enem?

De acordo com o edital do Enem 2019, as provas de redação são corrigidas por dois corretores de maneira independente. Eles atribuirão uma nota entre zero e 200 pontos para cada uma das competências avaliadas, e a nota final de cada corretor corresponde à soma das cinco notas atribuídas - totalizando um valor entre zero e mil pontos. Na sequência, as notas dadas pelos dois corretores são somadas e a média aritmética entre elas resultará na nota final do candidato na prova de redação.

Se houver muita discrepância entre as duas notas atribuídas pelos corretores, a prova passará por mais uma correção, realizada de maneira independente por um terceiro corretor. O edital pontua que caso não exista discrepância entre o terceiro corretor e as outras duas notas iniciais, ou se não houver discrepância entre a terceira nota e uma das pontuações iniciais, a nota final do participante será definida pela média aritmética das duas notas que mais se aproximarem.

Também é importante lembrar que o documento oficial do Inep sobre o Enem pontua que serão corrigidas apenas as redações corretamente transcritas para a Folha de Redação, com caneta esferográfica de tinta preta, conforme as instruções apresentadas no Exame e previamente conhecidas pelos candidatos.

Quais são as competências avaliadas? 

A última edição do Manual de Redação do Enem, divulgado em outubro de 2018, informa que o desempenho dos candidatos será avaliado com base em cinco critérios pré-estabelecidos. Veja:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. 

Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa. 

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Por que uma redação pode ser zerada?

Além das competências que serão avaliadas na prova, o edital também informa quais são os casos em que a banca avaliadora do exame poderá atribuir a nota zero para uma redação. Confira quais são eles abaixo:

Primeiro caso: fuga do tema e ausência da estrutura dissertativo-argumentativa

Segundo o Edital do Enem 2019, a banca irá caracterizar como “fuga do tema/não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa” as redações que não atendem à temática proposta pelo exame ou os textos que não seguem a estrutura textual dissertativo-argumentativa. Logo, será atribuída nota zero nessas situações.

Segundo caso: folha em branco 

Caso o texto não esteja escrito na Folha de Redação ou não siga as diretrizes estipuladas pelo Enem, a banca examinadora irá considerar a prova “em branco”, e a nota atribuída será zero. Por isso, aproveite as últimas semanas de preparação e relembre quais são as principais regras, como o uso da caneta na cor preta. 

Terceiro caso: texto insuficiente

De acordo com o edital do Enem, a banca avaliadora irá classificar como “texto insuficiente” as redações que apresentem até sete linhas, independemente de qual seja o seu conteúdo. Ainda, o documento ressalta que as redações que apresentem cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terão tais linhas desconsideradas na contagem do número mínimo de linhas. 

Quarto caso: anulação da redação 

Entre os casos que são configurados como “anulação”, o edital da prova menciona que as redações que apresentarem impropérios ou desenhos serão anuladas. O mesmo vale para os textos que possuem uma parte deliberadamente desconexa com o tema proposto pelo exame. Dessa maneira, mensagens religiosas, poemas, trechos de músicas e textos, por exemplo, devem constar na redação desde que articulados com a argumentação que está sendo feita pelo candidato.

Provas em que há nome, assinatura, rubrica ou alguma forma de identificação em espaço destinado ao texto também serão anuladas pelos corretores. As redações escritas em língua estrangeira ou que apresentem letra considerada ilegível pelos dois corretores também sofrerão anulação.

É necessário respeitar os direitos humanos na redação?

Como visto anteriormente, o Manual de Redação do Enem 2018 afirma que o quinto aspecto a ser avaliado na prova de redação do Enem é definido como “elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos”. No entanto, às vésperas da prova realizada em 2017, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) proibiu que uma redação que ferisse os direitos humanos recebesse nota zero automaticamente.

Dessa maneira, as regras que definem a pontuação dessa competência foram alteradas. A única exigência explícita da prova é que os direitos humanos sejam respeitados na proposta de intervenção feita pelo candidato. Caso a proposta de intervenção de uma redação fira os direitos humanos, a pontuação máxima para essa competência será de 800 pontos. Até a edição de 2016, a redação que desrespeitasse os direitos humanos em qualquer trecho do texto teria a nota total zerada. 

Mas ainda é necessário atenção. Entre as três atitudes que são mencionadas nesta competência do edital, apenas o desrespeito aos direitos humanos foi alterado. O uso de deboche e xingamentos no decorrer do texto ainda são considerados critério para zerar a redação. 

Ainda com dúvidas?

Durante a reta final de preparação para o Enem, aproveite para relembrar quais são as principais regras do exame! Esse momento pode ser perfeito para ler ou reler o edital oficial do exame para 2019, no qual você encontrará todas as diretrizes sobre a realização da prova. No documento, você também irá conferir informações importantes, como as obrigações dos participantes, em quais casos um candidato pode ser eliminado ou como será realizada a divulgação dos resultados finais. 

Outra sugestão é ler a Cartilha de Redação do Enem 2019. Divulgada pelo próprio Inep, órgão responsável pela elaboração e aplicação do Enem, a cartilha responde questões relevantes sobre a prova, detalha as competências que serão cobradas na redação e traz alguns exemplos de redações que alcançaram nota mil no exame.

O COC quer ajudar você nessa reta final de estudos para o Enem! Aproveite a visita ao nosso blog e confira as nossas dicas para estudar ao longo dos dois últimos meses antes da prova. E não deixe de ler a retrospectiva com os últimos sete temas da redação, além de dar uma olhadinha nos 6 assuntos da atualidade que podem ser cobrados no exame.

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!