A carreira de economista é repleta de caminhos e atuações diferentes. Por isso, muitas pessoas fazem sua graduação nessa área, tornando essa profissão uma das mais tradicionais do mercado de trabalho. 

Mas antes de encarar a vida profissional, é necessário estudar muito na faculdade para conquistar o diploma de bacharel em economia. No texto de hoje, vamos te mostrar como é a trajetória acadêmica, em que setores um economista pode atuar e qual a média salarial dessa profissão.

Se você se interessa pela área ou tem dúvidas se esse é o curso certo, fique conosco e confira nosso material.

A graduação

Para ser bacharel em economia, o estudante precisa frequentar uma faculdade por quatro anos, pelo método presencial ou a distância. Logo no início da formação, ele já tem contato com um apanhado geral sobre economia brasileira, para desenvolver um raciocínio de análise profissional sobre o cenário do país.

As disciplinas estudadas

Para compreender a dinâmica econômica de um país, de uma empresa ou seja lá qual for o objeto de análise, o economista precisa ter uma visão global de tudo o que acontece ao redor e que pode influenciar o andamento da economia. 

Por isso, os futuros profissionais têm em suas grades curriculares diversas disciplinas voltadas para a história, a política e o direito. 

Algumas das matérias presentes em todo curso de economia, independentemente da instituição em que se estuda, são: história da economia no Brasil, história da economia geral, economia do Brasil contemporâneo, economia internacional, economia política, economia financeira e monetária, ciências políticas, direito público e privado, entre outras.

Onde pode atuar?

O mercado de trabalho para quem decide encarar a carreira de economista é bastante amplo e cheio de opções. Existem vagas para atuar em organizações públicas e empresas privadas, desempenhando papéis variados.

A ocupação mais tradicional é a de analista econômico, que envolve, basicamente, fazer o acompanhamento das finanças da instituição em que o profissional trabalha, buscar informações e tentar evitar que ela perca dinheiro e valor de mercado.

Outra possibilidade de atuação é como estrategista econômico dentro de organizações. Nesse caso, a função é a de elaborar planos e estratégias visando o crescimento da empresa ou sua recuperação financeira, se for o caso de uma companhia que enfrenta dificuldades.

O economista pode, ainda, ser um consultor financeiro, trabalhando tanto de forma terceirizada para empresas como em casos particulares de pessoas físicas que desejam cuidar melhor das suas finanças.

Nesse segundo caso, muitas pessoas procuram economistas para que eles as ajudem a diminuir suas dívidas e a investir seu dinheiro com qualidade e eficiência. Por isso, o economista deve estar sempre atualizado sobre o mercado.

A área de auditoria também é muito interessante para se seguir carreira. Muitas empresas contratam auditores para fiscalizar e avaliar como está sendo a gestão da companhia. Além disso, são capacitados para identificar possíveis fatores que podem acarretar problemas e propor soluções viáveis.

Economistas podem, ainda, atuar no campo das pesquisas, vinculado a universidades que buscam compreender melhor as tendências de mercado, as influências mais significativas para os diversos setores etc. 

Existem outras áreas dentro do campo da economia em que um profissional pode atuar, afinal, o mundo de hoje exige conhecimento sobre finanças para que não se perca dinheiro, e isso vale para empresas e pessoas, por isso as consultorias que citamos anteriormente têm sido muito procuradas.

Média salarial de um economista

De modo geral, a profissão de economista costuma pagar bem, mas é claro que tudo depende da sua área de atuação, da empresa em que trabalha e da região onde você mora. Os números que mencionaremos a seguir são médias, portanto podem sofrer alterações de acordo com os fatores que acabamos de citar.

Entre o início da carreira, ocupando um cargo júnior, até alcançar um cargo de liderança, o retorno financeiro mensal varia de R$ 3.000,00 a R$ 40.000,00.

Conclusão

Embora o salário e a quantidade de opções de áreas de atuação possam ser atrativos grandes para os estudantes, é preciso entender que um economista precisa estar ligado em tudo o que acontece no país e no mundo, pois qualquer atitude tomada por governantes, líderes e outras autoridades podem repercutir na empresa em que se trabalha, fazendo-a ganhar ou perder dinheiro.

Quer conhecer mais guias de profissões? No blog do COC, separamos alguns materiais para você saber mais sobre outras ocupações.