Uma das profissões mais tradicionais do mercado de trabalho, o jornalismo ganha novos focas - apelido dado aos jornalistas recém-formados - a cada ano. Com ampla área de atuação, essa graduação oferece uma formação dentro do segmento das humanidades e atualidades, proporcionando os primeiros passos para trilhar uma carreira com muitas histórias e desafios.

O que faz um jornalista?

De maneira geral, o jornalista é o profissional da notícia e, portanto, trabalha diretamente com a investigação das informações de interesse público. Ou seja, aquilo que você, sua mãe, seu amigo e todos nós consideramos muito importante saber sobre os mais variados assuntos.

A responsabilidade de um jornalista é apurar, redigir e editar conteúdos que posteriormente serão divulgados nos meios de comunicação. Atualmente, existem diversas plataformas nas quais esse profissional pode atuar, desde o jornal impresso até noticiários de televisão ou plataformas on-line.

Independentemente da área de atuação, o jornalista deve sempre estar atento às necessidades do seu público leitor e também do veículo para o qual trabalha. Para isso, é imprescindível que o profissional seja flexível e capaz de adaptar a linguagem, o enfoque e o conteúdo das suas produções.

Ao longo de sua trajetória, o jornalista pode ainda se especializar, tornando-se um profissional experiente na cobertura de um determinado segmento, como política, esportes, moda ou cultura.

Como é o curso

A duração média dos cursos de Jornalismo oferecidos no país é de quatro anos. Ao longo da graduação, as instituições de ensino incluem na sua grade curricular algumas disciplinas teóricas básicas, como língua portuguesa, gramática, ética, filosofia, sociologia, história, fundamentos da comunicação e até mesmo política e economia.

Em complemento, há também as disciplinas práticas, cujas abordagens normalmente exploram as diferentes áreas da profissão. Dessa maneira, os alunos aprendem sobre telejornalismo, radiojornalismo, jornalismo impresso e on-line, fotojornalismo e, em alguns casos, também sobre design gráfico e editorial.

A realização de um trabalho de conclusão de curso costuma ser obrigatória, mas suas características podem variar. Em alguns casos, os estudantes podem desenvolver trabalhos práticos, enquanto em outros há a exigência da produção de uma monografia.

Vale ressaltar que para conquistar um diploma de jornalista, o estudante precisa ser essencialmente curioso! Para isso, é necessário uma boa capacidade de expressão e interpretação, desenvolvendo um senso crítico apurado e uma boa bagagem cultural. Além disso, um diferencial na formação - e no mercado de trabalho - pode ser o domínio de técnicas de redação e as habilidades necessárias para lidar com softwares de edição de imagens e vídeos.

A obrigatoriedade do diploma

No ano de 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a exigência do diploma de graduação em jornalismo para exercer a profissão de jornalista. O assunto voltou a ser rediscutido em 2012, quando o Senado aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 206/2012, cuja proposta era restabelecer a obrigatoriedade do diploma. No entanto, a PEC ainda aguarda a votação na Câmara.

Essa discussão envolve pontos extensos e conflitantes. Por um lado, há quem defenda que a graduação na área prepara o profissional, proporcionando uma base segura para a atuação na área da comunicação. Já alguns críticos pontuam, porém, que em países democráticos não há exigência do diploma para exercer a profissão. Dessa maneira, há atualmente uma extensa área de atuação dentro do jornalismo também para os estudantes de outras graduações que se interessam por trabalhar nos veículos de comunicação.

Os meios digitais

As novas tecnologias e a crescente relação de proximidade com as redes sociais transformou a produção digital em um canal de comunicação em constante crescimento. Como reflexo, os profissionais da área devem se adaptar e aprender a dominar não apenas o estilo de redação adequado às plataformas digitais, mas também as ferramentas que permitem analisar seus dados quantitativos e qualitativos de performance.

Atualmente, o novo profissional que atua nos meios digitais deve ser capaz de compreender quais as palavras-chave mais buscadas pelos usuários, o número de cliques que um conteúdo recebe ou qual o melhor horário para publicá-lo em um site, por exemplo.

O mercado de trabalho

Os jornalistas devem sempre estar atentos às mudanças do mercado de trabalho. Nos últimos anos, os veículos de comunicação tradicionais, como jornais e revistas, vêm sofrendo grandes transformações, principalmente em relação aos tipos de contratação dos profissionais. Apesar da grande demanda de trabalho, há uma quantidade reduzida de vagas. Nesse segmento, é extremamente comum que os veículos contratem profissionais freelancers, ou seja, profissionais autônomos que trabalham como pessoa jurídica.

Por outro lado, os profissionais que desejam atuar em agências de assessoria de imprensa ou em departamentos de comunicação têm melhores perspectivas de mercado. Além de o salário ser considerado mais alto quando comparado às demais áreas, o segmento oferece uma maior quantidade de vagas.

Já para os jornalistas interessados em atuar na produção de conteúdo on-line, existem muitas oportunidades. Com grande demanda, esse profissional pode atuar em diferentes segmentos da comunicação, seja em agências, seja em empresas ou como freelancer.

Áreas de atuação

Comunicação digital e multimídia

Esse profissional é responsável por websites, portais na intranet e extranets. Além de criar, montar e cuidar da sua manutenção, também é seu papel produzir os conteúdos publicados, redigindo e editando boletins ou revistas eletrônicas, por exemplo.

Comunicação empresarial

Nesse segmento, o jornalista é responsável por promover o contato de uma organização com a imprensa e seus diversos públicos-alvo, como funcionários, parceiros do setor, clientes ou entidades diversas. Esse jornalista é conhecido como assessor de comunicação ou assessor de imprensa.

Edição

O editor é responsável por realizar o acabamento de um texto jornalístico. No caso de veículos impressos e on-line, seu papel é atuar na redação final e revisão de textos, selecionando imagens, ilustrações e outros recursos gráficos que acompanham o conteúdo. Já no âmbito audiovisual, esse profissional deve realizar a seleção de imagens e sons para dar forma às reportagens, notícias e demais produções jornalísticas.

Fotojornalismo

Esse profissional é responsável por registrar os fatos através de imagens. Também são parte da equipe de reportagem e podem trabalhar em diversos segmentos do jornalismo, on ou off-line.

Reportagem

Responsável por coletar informações e apurar fatos, esste profissional deve redigir textos e produzir conteúdos para as mais diversas plataformas jornalísticas.

E aí, curtiu este post? Conhece alguém que deseja seguir carreira como jornalista? Envie este texto para ele!

Aproveite a visita ao nosso blog e confira também:

Como funciona o FIES?

Como saber qual faculdade escolher?

Qual a diferença entre licenciatura e bacharelado?

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!