No mercado de trabalho, algumas profissões são muito tradicionais e concentram grande quantidade de concorrentes às vagas nas universidades. Entre as mais procuradas, está a engenharia, que se divide em diversos ramos.

Uma das especializações da engenharia que ganhou força nos últimos anos foi a de alimentos. Mas você sabe o que faz um engenheiro de alimentos, como é o curso, onde ele pode atuar e qual é a média salarial desse profissional? Para responder a todas essas perguntas, resolvemos criar este conteúdo. Confira!

O que faz um engenheiro de alimentos?

Ao escolher seguir essa profissão, o estudante deve saber que ao entrar no mercado de trabalho, ele exercerá a função de estudar o processo de produção dos alimentos nas indústrias. Isso quer dizer que deverá atuar para que aquilo que chega à mesa da população esteja seguindo as exigências de qualidade dos órgãos de fiscalização.

O engenheiro de alimentos adquire conhecimento para criar novas máquinas e softwares que melhoram e otimizam a produçõe - seja pequena, seja grande - de alimentos dentro das empresas. Essa função se mostra cada vez mais importante dentro das indústrias, uma vez que as discussões sobre a qualidade dos alimentos e os seus efeitos para a saúde humana têm se tornado mais recorrentes. 

Portanto, quem escolhe seguir esse rumo profissional deve estar antenado com tudo o que se diz sobre o tema e sobre aquilo que as pessoas querem para sua qualidade de vida.

O curso de Engenharia de Alimentos

Muitas universidades no país oferecem o curso de Engenharia de Alimentos, que dura cinco anos e ao final dá ao estudante o título de bacharel na profissão. 

Como acontece em todas as especialidades da engenharia, o curso se inicia com disciplinas gerais comuns a todas elas, como cálculo, física e química. Após essa visão geral, o estudante passa a ter efetivamente o contato com matérias específicas do curso escolhido.

Alguns dos tópicos estudados são: distribuição de alimentos, fundamentos da engenharia de alimentos, gestão industrial, microbiologia, processamento e tecnologia de alimentos, toxicologia dos alimentos, entre tantas outras. Vale destacar ainda que para conseguir se formar em engenharia de alimentos, o estudante deve cumprir horas de estágio obrigatório e apresentar um trabalho de conclusão de curso.

Onde pode atuar?

Essa é uma área que permite que o profissional atue em diferentes funções dentro do mercado de trabalho. Com o diploma em mãos, ele consegue operar no controle de qualidade das empresas, participar do processo de produção dos alimentos, fazer pesquisas e desenvolver novos componentes, e ainda é capacitado para trabalhar na venda dos produtos.

Entre essas funções, ele pode trabalhar dentro de empresas de desenvolvimento, em indústrias alimentícias, em órgãos públicos, em laboratórios e realizando pesquisas em universidades.

Quanto ganha um engenheiro de alimentos?

Um dos pontos que pesa na escolha de uma profissão é o retorno financeiro que se tem exercendo determinada função, não é mesmo?

Iniciando a sua caminhada dentro da profissão, a média de salário é superior a R$3.000. Quando tiver uma certa experiência e atingir cargos intermediários, a remuneração pode chegar a R$10.000. Já para aqueles engenheiros com mais vivência no mercado e que ocupam cargos altos, o salário pode passar de R$20.000.

A engenharia de alimentos tem sido uma alternativa de escolha para aqueles estudantes que gostam de matérias exatas, mas não se identificam tanto com as carreiras de engenharia mais tradicionais, como a civil e a mecânica. E você, o que achou dessa profissão?

No blog do COC, temos outros guias de profissão que te ajudarão a escolher a carreira certa. Acesse e confira!

Guia de Profissões: o que um engenheiro civil faz?

Guia de profissões: o que faz um engenheiro elétrico?