Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer) a estimativa é de que, em 2020, 625 mil novos casos de câncer surjam no Brasil. E com um número tão alarmante, é preciso saber um pouco mais sobre essa doença e quais os principais tipos existentes. Neste texto, vamos te contar como ela surge, quais os órgãos mais afetados, as causas, as formas de prevenção e os tratamentos. Confira!

Como o câncer se forma?

Cada célula do corpo humano carrega uma carga genética que define como ela deve se dividir e em qual intensidade. Quando há algum erro nesse processo de divisão, a célula fica doente e passa a se dividir e gerar outras células doentes, causando um tumor que, quando é classificado como maligno, é chamado de câncer. 

Esse erro nas células pode acontecer em qualquer parte do corpo, e quando elas se proliferam com rapidez e atingem outras regiões, dá-se o nome de metástase.

Locais mais afetados

Algumas partes do corpo têm mais incidência de casos de câncer. Confira alguns destes locais:

- Fígado;

- Mamas (quase sempre nas mulheres);

- Pulmões;

- Próstata (nos homens);

- Leucemia (câncer nos glóbulos brancos);

- Estômago.

Causas da formação do câncer

As anomalias das células podem ter origem interna ou externa. A interna está relacionada com questões genéticas e com a incidência da doença nos familiares. Já a externa está associada a hábitos e costumes, por exemplo: o tabagismo é grande colaborador para a formação de câncer na boca, no esôfago e nos pulmões; o alcoolismo está associado ao câncer de fígado; o excesso de exposição aos raios solares sem proteção contribui para o surgimento do câncer de pele; e o câncer de estômago está ligado à má alimentação, ao excesso de peso e ao consumo exagerado de alimentos industrializados. 

Prevenção do câncer

Como vimos no item anterior, o câncer pode ser formado graças a interferências externas, portanto há coisas que o ser humano pode evitar e posturas que podemos assumir no cotidiano. Entre essas ações de prevenção, estão:

- Não fumar;

- Não ingerir bebidas alcoólicas;

- Alimentar-se de comidas saudáveis;

- Manter o peso corporal adequado;

- Praticar exercícios físicos com regularidade;

- Fazer os exames de mama e ginecológicos regularmente (mulheres);

- Fazer o exame de próstata regularmente (homens);

- Proteger-se do sol (evitando o câncer de pele);

- Estar com a vacinação em dia.

Tratamento

Quando o câncer é detectado, é necessário começar o tratamento para a eliminação das células doentes o mais rápido possível, antes que elas consigam se multiplicar pelo corpo. Para cada tipo de câncer, é indicado um tratamento específico, e entre os mais habituais estão:

Radioterapia

Consiste no tratamento por meio de radiação, que não é vista a olho nu. Metade dos pacientes com câncer fazem uso da radioterapia. Com ela há uma melhora na qualidade de vida e, em muitos casos, acontece a eliminação total das células doentes. Em contrapartida, por ser um tratamento forte, pode gerar efeitos colaterais, como cansaço, reações na pele e perda de apetite.

Quimioterapia

É um tratamento que utiliza uma série de remédios para combater as células doentes. Eles podem ser ingeridos via oral, via intravenosa, intramuscular, subcutânea ou aplicados diretamente no local, no caso do câncer de pele e de mucosa. Os pacientes que passam pela quimioterapia, no geral, sentem bastante fraqueza, têm diarréia, alteração do peso (para mais ou para menos), queda de cabelo, enjôo, feridas na boca, vômitos e tontura.

Imunoterapia

É o tratamento menos nocivo ao paciente e vem ganhando adeptos nos últimos anos. O conceito é o de potencializar o sistema imunológico, fazendo com que o próprio corpo seja capaz de combater as células que se dividiram de maneira equivocada. 

Cirurgia

A cirurgia é indicada para os casos em que o tumor está bem localizado, como é o caso do câncer de próstata e de mama. Após a retirada, o paciente passa a tomar medicamentos para controlar uma possível formação de novos tumores.

O câncer é uma doença que ainda não tem uma cura, por isso é preciso que as pessoas se conscientizem sobre as formas de prevenção para evitar o seu surgimento.

Confira outros materiais que estão em nosso blog. 

Procarionte e eucarionte: qual a diferença?

Como funciona o sistema excretor