Muito se fala sobre o bullying. Mas antes de qualquer coisa, é preciso entender o que é esse conceito:  o bullying é definido como a prática de ações violentas, verbais ou não, repetidamente sobre um indivíduo. Ele pode ser manifestado de forma física, verbal, material, moral, psicológica, sexual ou virtual (cyberbullying); e pode fazer com que as crianças sofram problemas psicológicos e até mesmo físicos.

Uma das formas mais comuns do bullying é  aquele que ocorre no ambiente escolar. Veja como identificar sinais de que o seu filho possa estar sofrendo bullying:

Queda no rendimento escolar

O desinteresse pela escola e a queda no rendimento nem sempre são um sinal de  preguiça. Muitas vezes, o bom desempenho do aluno na escola também é influenciado pelo relacionamento que ele possui com o restante da turma. Uma criança que não se sente à vontade com o seu círculo social, dificilmente se manterá engajada em participar das atividades escolares.

Quem sofre bullying acaba não vendo mais a escola como um momento de aprendizado e socialização, mas como algo ruim. Por esse motivo, acaba afetando diretamente o rendimento das crianças.

Sintomas psicossomáticos

Você sabia que o bullying pode desencadear tensões emocionais, manifestadas inclusive por dores físicas nos órgãos? Por isso, é extremamente importante também observar como seu filho se sente fisicamente e como ele se comporta em situações que podem causar estresse. Veja os mais comuns a serem analisados:

- Insônia ou muito cansaço.

- Dores de cabeça ou estômago.

- Náusea e diarreia.

- Suor excessivo.

- Tensão muscular.

- Crise de asma.

Se ele manifestar esses tipos de sintomas com uma certa frequência, é preciso conversar com os professores da escola e verificar se há alguma relação com o dia a dia da criança.

Mudança de comportamento

A criança é focada e alegre, possui um bom relacionamento com os pais, a escola e os colegas, além de gostar de participar das atividades escolares e brincadeiras. De repente, as coisas mudam, e ela já não se manifesta do mesmo jeito de antes. É comum que crianças que sofrem bullying mudem sua forma de agir, muitas vezes por se sentirem inseguras.

Autoestima

Enquanto as crianças que praticam o bullying costumam não ter bons relacionamentos familiares, as que o sofrem geralmente têm baixa autoestima por acreditarem que são diferentes ou piores do que os outros colegas. Em sua própria perspectiva, nada é suficiente para fazê-las boas no círculo social em que estão inseridas. Isso pode levar a problemas psicológicos mais graves no futuro, como a depressão.

Mantenha contato constante com a escola

Além de ajudar no desenvolvimento do seu filho, o contato frequente com a escola é fundamental para que você e a escola, responsáveis pelo crescimento da criança, possam trabalhar juntos para solucionar os problemas que estejam eventualmente acontecendo. É essencial que a criança tenha a segurança de que seus pais e a escola estão devidamente preocupados com sua segurança e seu desenvolvimento. O comprometimento da equipe pedagógica é uma das principais bases para a identificação do bullying.

É importante estar atento a qualquer indício de desinteresse ou apatia apresentado pelo seu filho. Saber lidar com essa situação de violência é fundamental para que ele não sofra ainda mais. Saiba como ajudar seu filho a superar dificuldades, como estimular a sua autoestima, e esteja preparado para enfrentarem juntos qualquer desafio no seu futuro.

Aqui estudar é poder!

O COC dispõe dos recursos mais modernos que a tecnologia oferece para o aprendizado. Clique aqui e conheça a unidade mais próxima de você.