A prática de exercícios físicos é fundamental para a manutenção de uma vida saudável. Para as crianças, os esportes contribuem significativamente para o seu desenvolvimento físico e motor. Durante a adolescência, ainda, pode ser um importante passatempo e até vir a ser uma profissão no futuro do jovem.

No post de hoje, nós daremos algumas dicas que vão te ajudar a motivar os seus filhos a praticarem esportes, sempre levando em conta as características de cada idade.

Diferenciando atividade física de prática desportiva

Em primeiro lugar, vamos diferenciar três conceitos frequentemente interpretados como a mesma coisa, mas que carregam algumas distinções significativas :

Atividade física

De acordo com profissionais ligados às áreas de educação física e medicina, define-se atividade física como qualquer movimento executado de maneira voluntária e que tenha um gasto calórico superior ao repouso. Segundo essa definição, podemos considerar também as ações domésticas, como lavar a louça e levar o lixo para fora de casa, por exemplo, como atividades físicas.

Exercício físico

Os exercícios são atividades físicas realizadas de modo organizado e definido, tendo o propósito de melhorar a performance de força, de flexibilidade ou de velocidade. Caminhar no parque e andar de bicicleta são bons exemplos de exercícios físicos.

Esportes

A definição de esportes engloba uma atividade física mais complexa e sistematizada, regida por regras e com objetivos de competição. Nesse sentido, enquadram-se o futebol, o vôlei e o basquete, entre outros.

Levando em conta as limitações de cada idade

Os exercícios físicos são indicados para crianças de qualquer idade. Caminhar na praia, chutar bola com os pais e brincar no parquinho são atividades apropriadas mesmo para crianças aos 2 ou 3 anos de idade. Porém, recomenda-se que a prática de esportes ocorra após um maior desenvolvimento das suas capacidades motoras, algo que costuma acontecer por volta dos 6 anos de idade. O treinamento esportivo para fins de competição é, preferencialmente, orientado para pré-adolescentes em torno dos 12 anos de idade.

É necessário que os pais levem em conta as particularidades de cada idade. Antes de tudo, os exercícios físicos devem ter por objetivo o desenvolvimento da criança, bem como o incentivo a hábitos saudáveis. A prática esportiva precoce pode, ao contrário, causar desinteresse e se tornar desgastante para os pequenos.

Apresentando diversos esportes

Os especialistas da área indicam que as crianças costumam escolher seus esportes prediletos entre os 10 e 12 anos de idade. Até lá, cabe aos pais propiciar a iniciação esportiva, oferecendo diversas modalidades com propostas distintas. Por exemplo:

Futebol, vôlei e outros esportes coletivos

Os esportes coletivos são responsáveis por ajudar no desenvolvimento físico das crianças, melhorando a coordenação motora e estimulando a capacidade de tomar decisões rápidas. Além disso, são modalidades em que todos os participantes devem jogar em sintonia, o que ajuda a criar a ideia de “time” para os mais jovens. Contribui também para o desenvolvimento das habilidades sociais, ensinando conceitos como liderança, cooperação e companheirismo.

Natação

A natação é um esporte amplamente indicado pelos médicos, principalmente por trabalhar o sistema respiratório e contribuir significativamente para o desenvolvimento motor da criança. Há especialistas que defendem que as primeiras aulas dentro da água podem ser adequadas até mesmo para as crianças menores de 6 anos de idade.

Artes marciais

Em termos físicos, as lutas são benéficas por auxiliar a coordenação motora, o desenvolvimento dos músculos e do equilíbrio. Além disso, os ensinamentos sobre disciplina e controle da mente são amplamente valorizados, contribuindo também para o desenvolvimento social das crianças.

Musculação

As pesquisas sobre os treinamentos de força para crianças ainda oferecem respostas dúbias. Por isso, os especialistas procuram indicar a musculação preferencialmente a partir dos 14 anos de idade, de maneira moderada e com a supervisão de profissionais especializados.

Deixar que eles sigam as próprias preferências

Durante a adolescência, os jovens já conseguem indicar de maneira mais assertiva os seus esportes prediletos e para os quais possuem maiores aptidões. Nessa fase da vida, cabe aos pais incentivar que o adolescente pratique as modalidades de que mais gosta, tanto de maneira orientada aos treinos quanto de forma recreativa com os amigos e familiares.

Incentive o interesse pelo esporte

Uma pesquisa divulgada em 2017 pela Revista Época indicou algo que os estudos sobre o esporte já diziam: as crianças escolhem os seus times do coração entre os 6 e 10 anos de idade. Os fatores decisivos para essa escolha são, em ordem de importância, o clube do coração dos familiares próximos, a intensidade da torcida dos pais e outras pessoas próximas e a performance da agremiação na época, evidenciada por ídolos, conquistas de títulos e exposição na mídia.

Baseando-se em dados como esses, é possível perceber como os pais exercem uma influência direta no interesse das crianças pelos esportes. Devido a isso, cabe a eles demonstrarem dentro de casa a vontade de acompanhar campeonatos pela televisão e até frequentar ginásios poliesportivos; fatores que podem desencadear fortes paixões pelo esporte, tanto na questão de assistir quanto para praticar.

Pratique exercícios físicos em família

Os pais também precisam dar o exemplo dentro de casa, demonstrando os benefícios do esporte por meio do incentivo da prática de exercícios por todos os membros da família. Caminhar pelo parque, andar de bicicleta, jogar futebol no fim de semana ou jogar basquete são exemplos de atividades que podem ser feitas entre pais e filhos.

Aulas de educação física na escola

Incentive os seus filhos a participarem com afinco das atividades propostas nas aulas educação física da escola. Os colégios geralmente contam com uma metodologia de ensino voltada às crianças, e professores capacitados a ensinar os esportes de maneira lúdica e pedagógica. Além disso, os alunos ainda estão praticando exercícios com os seus amigos de classe, fatores que podem contribuir muito para despertar o gosto pela prática desportiva.

Não pressione os mais jovens

As atividades esportivas não podem representar algo desgastante para as crianças, principalmente no caso do treinamento desportivo visando o alto rendimento. Por isso, aos mais pequenos cabe o incentivo a uma prática recreativa de modalidades, que não foque totalmente em resultados.

Para os adolescentes, principalmente acima dos 12 anos, já é possível trabalhar o esporte de maneira mais focada no desempenho, pensando em treinamentos mais frequentes e dinâmicos. Os jovens que demonstrarem certa aptidão para realizar um determinado desporto podem ser incentivados pela família a praticá-lo de maneira mais séria, tratando-o até mesmo como uma possível profissão.

Ofereça um acompanhamento profissional

É imprescindível que o seu filho faça atividades físicas orientado por profissionais capacitados. Além disso, antes de matricular a criança em qualquer esporte, submeta-a a uma avaliação médica e esteja sempre acompanhando de perto os resultados com exames e consultas a especialistas.

Os adolescentes que já levam o esporte mais a sério ainda podem receber o apoio de nutricionistas e fisiologistas do esporte, buscando manter uma alimentação balanceada e condicionar o corpo para um aumento do desempenho esportivo.

A prática de esportes é fundamental em qualquer idade, tanto para os pais quanto para os filhos. O ideal é que a família se reúna e pratique as atividades físicas, estimulando esse hábito. A sua saúde agradece!

Aqui estudar é poder!

O COC dispõe dos recursos mais modernos que a tecnologia oferece para o aprendizado. Clique aqui e conheça a unidade mais próxima de você.