A vida escolar pode apresentar dificuldades para alguns estudantes, seja pela falta de atenção durante as aulas, seja por um período conturbado que estejam vivendo, por falta de interesse ou qualquer outro motivo. Fato é que os pais devem estar atentos aos sinais que os filhos podem passar em seu comportamento para identificar que algo não está bem. 

No texto de hoje, vamos mostrar algumas dicas de como reconhecer esses sinais e ajudar as crianças e os adolescentes a melhorar seu desempenho dentro de sala de aula. Confira!

Problemas de visão e audição

Muitas famílias descobrem que as crianças estão com algum problema de visão ou de audição quando as notas escolares abaixam. Essa dificuldade de enxergar ou de ouvir gera um constrangimento para o jovem, já que, na maioria das vezes, essa revelação se dá em um momento em que estão buscando a aceitação do seu corpo e da sua aparência.

É preciso, portanto, ficar atento a esse tipo de comportamento, pois é fácil detectar se a causa da dificuldade no aprendizado é realmente a ausência de óculos, de um aparelho auditivo ou de outros acessórios. 

Caso a desconfiança exista, converse também com a escola, para saber se o seu filho está sentado muito distante da lousa ou se os professores têm alguma observação a fazer em relação ao modo como ele interage na aula, se faz muitas perguntas, se pede para repetir ou se precisa de ajuda para ler o que está escrito nos livros.

TDAH

O TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção ou Hiperatividade) tem sido constantemente citado no meio escolar, pois ele pode ser o responsável pela dificuldade que alguns estudantes têm durante toda a vida acadêmica. 

Esse transtorno é considerado uma doença crônica que afeta a capacidade de atenção e concentração em determinadas atividades. Nas crianças esses sintomas são mais perceptíveis do que em adultos. Por isso, caso haja qualquer desconfiança de que o seu filho possa ter o TDAH, é imprescindível levá-lo a um neuropediatra. Esse profissional é capaz de realizar testes que comprovem ou não a existência do TDAH.

Alimentação e sono

Dois fatores que contribuem em grande escala para o surgimento de dificuldade escolar são a alimentação e o sono. Quando um deles (ou os dois) está desregulado, o corpo fica mais cansado e não consegue se manter concentrado nos momentos que exigem mais atenção, como nas aulas, nas provas e nos estudos.

Por conta disso, é importante que seu filho tenha uma dieta com diversos nutrientes e que se alimente bem nas três principais refeições do dia. Tomar um café da manhã reforçado para encarar a sequência de aulas é o mais recomendado para os alunos do período matutino, assim como o almoço é fundamental para os estudantes do período da tarde.

Além de se alimentar bem, o sono também deve ser observado com cuidado pelos pais, principalmente dos adolescentes. Isso porque uma noite mal dormida certamente vai gerar mais cansaço no dia, diminuindo o rendimento em qualquer atividade que se faça. 

Os jovens estão mais propensos a se descuidar do sono, pois tendem a ficar acordados até tarde conversando com os amigos, jogando ou assistindo a filmes e séries. Dessa forma, os pais precisam conversar com os filhos para mostrá-los a importância de manter uma rotina de sono regulada, para que isso não atrapalhe o desempenho escolar.

Comportamento social

As crianças e os adolescentes podem demonstrar que algo não está bem em muitos comportamentos, como no trato com os próprios pais, na relação com os colegas, no interesse pela escola, na maneira como gasta o tempo livre, nos livros que lê e nas músicas que escuta. Todo comportamento estranho pode ser um indício de algum problema, por isso é preciso estar sempre atento.

A falta de vontade de frequentar a escola e as notas ruins podem ser causadas, por exemplo, por uma rejeição dos colegas de turma, fato que gera um sentimento de exclusão e que não permite que seu filho se expresse e se dedique às atividades escolares de forma plena. Sendo assim, entre em contato com a escola para saber se os professores e coordenadores notam algum comportamento que justifique essa atitude. 

É preciso reforçar também, como falamos em tópicos anteriores, que os adolescentes, em grande maioria, passam por um período de mudança corporal e mental, e que muitas dessas alterações podem resultar em perda de autoestima e em outros sentimentos que os tiram a atenção. Portanto, converse com seu filho, dê orientações e, se for o caso, leve-o a um acompanhamento profissional com um psicólogo ou psiquiatra.

Dificuldades específicas

Por fim, vale a pena prestar atenção se a dificuldade que o seu filho tem é geral ou específica, para que se possa pensar na melhor estratégia para reverter esse quadro. Um jovem que tem um desempenho regular e em uma disciplina e cometeu um deslize, provavelmente teve algum problema pontual, que pode ou não comprometer as demais matérias.

Agora, é preciso ficar mais alerta quando há dificuldade em vários conteúdos e que as notas baixas são constantes. Nesses casos, esteja alinhado com a escola para compreender o que pode estar acontecendo e tomar as medidas necessárias.

Conclusão

Como vimos, existem diferentes causas para um estudante ter dificuldade na escola, assim como há diversas formas de identificá-las. Por isso, os pais devem estar atentos à vida escolar dos filhos e tentar manter uma relação transparente com eles, de modo que eles entendam que o seu papel é ajudá-los a melhorar.

Gostou deste texto? Então confira no blog do COC outros artigos sobre a educação dos seus filhos!